Deputados falam em recursos de SC para obras federais e perdas da maçã

Notícias de Santa Catarina - SC HOJE News

Deputado Tiago Zilli
FOTO: Rodolfo Espínola/Agência AL

Continua após o anúncio

Integrante do MDB anunciou que os recursos que o estado destinou à União para obras em rodovias federais poderiam ser devolvidos via investimentos em rodovias federais, enquanto membro do Podemos lamentou as perdas da safra de maçã na sessão de quarta-feira (10) da Alesc.

“Os recursos de Santa Catarina que o ex-governador colocou em obras federais e, que em uma conversa com o ministro Renan Filho foi pedido que retornassem esses investimentos, o Ministério de Infraestrutura pode investir através de convênios onde são rodovias federais”, declarou Tiago Zilli (MDB), que acompanhou o governador em exercício, Mauro de Nadal, em reuniões no Ministério.

Continua após o anuncio

Zilli ainda noticiou que “o governo federal entendeu que é um dinheiro que pertence aos catarinenses” e que Nadal tratará do assunto com o governador Jorginho Mello.

Já o deputado Lucas Neves (Podemos) revelou na tribuna dados sobre as perdas na safra da maçã na região de São Joaquim.

Continua após o anúncio

“A região da Serra, tendo São Joaquim como principal produtor, representa quase a metade da produção brasileira de maçã, cerca de 2 mil produtores que tiveram a safra excessivamente prejudicada pelo um volume de chuvas absurdo. Há 25 anos não sofríamos uma crise tão severa”, relatou o deputado, acrescentando que os prejuízos somam R$ 370 mi.

No caso da variedade Gala, as perdas chegam a 30%, enquanto a Fuji tem perdas estimadas em 17%.

“Eles precisam de apoio, precisam de ampliação dos seguros, precisam de ajuda para o antigranizo, precisam de uma mão”, repetiu Lucas, aludindo ao auxílio reivindicado pelos produtores aos governos estadual e federal.

Restrição ilógica à pesca do cação
Ivan Naatz (PL) denunciou como ilógica a restrição à captura de cações e tubarões no litoral brasileiro, enquanto o país autoriza a importação desses peixes pescados no Uruguai e na Argentina.

“São espécies abundantes, são capturados na pesca de espinhel e vêm junto dos demais peixes, chegam mortos no convés e são jogados ao mar, mas são comestíveis, têm valor comercial considerável. Já os cações pescados no Uruguai e na Argentina podem ser comercializados no Brasil. Qual lógica ambiental disso, se o mar do Uruguai faz fronteira com o nosso?”, questionou Naatz.

Redragagem do rio Tubarão
Pepê Collaço (PP) agradeceu os deputados do Sul pela destinação de R$ 5 mi, derivados dos 25% dos recursos devolvidos pelo Parlamento ao Executivo e que agora serão destinados às emendas impositivas das bancadas regionais, para a elaboração do projeto de redragagem do rio Tubarão.

“Quero agradecer os deputados da Bancada do Sul, que, em comum acordo, destinaram R$ 5 mi para a confecção do projeto de redragagem do Rio Tubarão. Vai beneficiar não só a questão das catástrofes das cheias, mas também vai beneficiar os pescadores da região de Laguna, porque vai facilitar a entrada de barcos”, revelou Collaço.

Vitor Santos
AGÊNCIA AL

Fonte: Agência ALESC

Continua depois do anúncio: FP

Redação SC Hoje
Redação SC Hoje
Da redação do Portal SC Hoje News. DÊ SUA OPINIÃO SOBRE A QUALIDADE DO CONTEÚDO QUE VOCÊ ACESSOU. Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e envie sua mensagem por e-mail [email protected] ou pelo WhatsApp 48 99208.8844

Leia Mais

Mais Lidas

-PUBLICIDADE-