Deputados criticam erro da Fesporte e divergem sobre aumento para PMSC


Deputados criticaram um erro da Fundação Catarinense de Esportes (Fesporte) ao não inscrever paratletas em uma competição nacional e divergiram sobre a reposição salarial para a Polícia Militar (PMSC) na sessão de terça-feira (16) da Assembleia Legislativa.

“A Fesporte deixou por incompetência de fazer a inscrição de mais de 100 paratletas que participariam de um campeonato em São Paulo no dia 22 de novembro”, denunciou Jessé Lopes (PSL).

Segundo deputado, ao não serem inscritos, os paratletas deixarão de receber a bolsa atleta do governo federal e não poderão participar da próxima edição dos jogos Pan-Americanos.

“As famílias que já se organizavam para acompanhar seus filhos, gastaram com hospedagem, isso tudo é denúncia de pais e professores”, insistiu Jessé.

Sargento Lima (PL) e Fernando Krelling (MDB) acompanharam o colega nas críticas.

“Estamos falando de crianças portadoras de necessidades especiais, de famílias de baixa renda que necessitam desses recursos”, avaliou Lima, referindo-se ao bolsa atleta.

“Sei o quanto essas famílias estão tristes com esse erro, o Ministério Público (MPSC) já está ciente, já está no caso”, revelou Krelling, informando em seguida que a Procuradoria-Geral do Estado estuda pedido de liminar para inscrever os paratletas.

“Que o governo exonere imediatamente este servidor que cometeu um erro gravíssimo que mexe com a vida desses atletas que não terão direito ao bolsa atleta nacional”, indicou Krelling.

Já o deputado Coronel Mocellin (PSL) defendeu o projeto enviado pelo Executivo para reajustar os subsídios dos policiais militares e classificou de “demagoga” a emenda à proposta do Executivo que concede reajuste linear aos membros da PMSC.

“Tem hora que a gente cansa de ouvir tanta mentira, falo para as categorias mais baixas da segurança pública, praças, peritos do IGP, não se deixem enganar”, apelou Mocellin, que ponderou que o reajuste oferecido deriva de uma “construção dentro da realidade”.

Mocellin lembrou que todas as categorias da PMSC aceitaram a proposta do Executivo, taxou de inconstitucional a emenda do reajuste linear e considerou ilegítimo que uma parte de uma associação possa deslegitimar a decisão de 16 associações.

Jessé Lopes (PSL), autor da emenda, repeliu a avaliação de Mocellin.

“Um show de horror do traidor dos praças e fala de forma tão prepotente como a categoria mais baixa”, ironizou Jessé.

Reforma administrativa
Adrianinho (PT) pediu o apoio dos colegas para aprovar moção de sua autoria que apela aos deputados federais e senadores para que não aprovem a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 32, a chamada reforma administrativa.

“Trata os servidores como se fossem um mal que precisa ser destruído no país”, analisou Adrianinho, que lamentou a eliminação de funções públicas exercidas por servidores efetivos para serem exercidas por cargos comissionados.

“É a constitucionalização do apadrinhamento e do compadrio”, definiu.

“Tudo vai ficar bem”
Ismael dos Santos (PSD) divulgou na tribuna novo livro que lançou sob o título “Tudo vai ficar bem’, já disponível na biblioteca virtual do parlamentar que representa Blumenau.

“É um romance ambientado na cidade de Chapecó, dos tempos em que vivi lá quando criança”.

Álcool e direção
Ismael divulgou a impressão do relatório “Álcool e direção 2021”, elaborado pela Comissão de Prevenção e Combate às Drogas com o auxilio da Diretoria de Imprensa.

Segundo Ismael, o relatório detalha a quantidade de bafômetros por cidade; as denúncias do Ministério Público (MPSC) sobre crimes de trânsito em 2021; o número de motoristas flagrados dirigindo sobre efeitos de álcool por cidade; e a quantidade de condenações por dirigir embriagado, entre outros dados.

De acordo com o relatório, em Florianópolis já foram flagrados 1.720 motoristas dirigindo sob efeitos de álcool em 2021; 1.676 em Blumenau; 946 em Criciúma; e 931 em Lages.

Ecocardiograma fetal
Neodi Saretta (PT) defendeu que o SUS disponibilize na rede pública o exame de ecocardiograma fetal, um exame de imagem que deve ser realizado no período gestacional para identificar doenças congênitas do coração.

Pneumocócicas Conjugadas
Saretta alertou a Secretaria de Estado da Saúde (SES) sobre a possibilidade do vencimento de vacinas Pneumocócicas Conjugadas e sugeriu a criação de um centro de referência em vacinas no interior do estado para agilizar a aplicação dessas vacinas.

Terceira dose contra o Coronavírus
Saretta defendeu que o Ministério da Saúde agilize procedimentos para comprar vacinas para serem aplicadas como dose de reforço, a chamada terceira dose.

“Que o Ministério da Saúde de fato decida o quanto antes pela possibilidade de ampliação da terceira dose de reforço para todos os brasileiros, hoje prevista para pessoas acima de 60 anos. O mundo todo já está preocupado em aplicar a dose de reforço. Esperamos que o Ministério tome essa providência o quanto antes e firme os contratos necessários para que no próximo ano a vacina seja disponibilizada”, advertiu o presidente da Comissão de Saúde.

Nadal no governo
Valdir Cobalchini (MDB) repercutiu a passagem de Mauro de Nadal (MDB), presidente da Casa, na chefia do Poder Executivo, haja vista as viagens ao exterior do governador e da vice-governadora.

“O presidente Mauro esteve em Xaxim, reunindo municípios das regiões vizinhas, em seguida visitou Cunha Porã, município onde é radicado há muitos anos, com grande público em Cunha Porã e Xaxim”, registrou Cobalchini, que destacou a autorização para a licitação da pavimentação da estrada que liga Maravilha a Bom Jesus do Oeste.

Nadal também visitou São Lourenço do Oeste, Tunápolis e Dionísio Cerqueira.

Titon, 45 anos
Cobalchini parabenizou o deputado Romildo Titon (MDB), que comemorou no último dia 15 de novembro 45 anos consecutivos exercendo mandatos eletivos.

“O primeiro mandato foi como vereador em Campos Novos, depois prefeito e a partir daí sete mandatos de deputado estadual, o mais longevo dos atuais parlamentares”.

MDB: 35 anos no poder em SC
Cobalchini também lembrou os 35 anos da ascensão do MDB ao poder executivo estadual em Santa Catarina, através da eleição de Pedro Ivo Campos e Casildo Maldaner em 1986.

O líder do MDB ainda citou os ex-governadores Paulo Afonso e Luiz Henrique da Silveira e elogiou o governador Moisés (sem partido), que “vem imprimindo uma forma diferente, envolvendo os deputados estaduais através das emendas impositivas, estabelecendo uma nova relação do governo do estado com os municípios”.

10 bolas de vôlei
Ivan Naatz (PL) pediu à Fesporte que forneça 10 bolas de vôlei para uso na EEB Julia Lopes de Almeida, de Blumenau. De acordo com o parlamentar, são necessárias uma bola por dupla de alunos, como são 30 alunos por sala e a escola somente tem cinco bolas, faltam dez.

A Polícia Civil agradece
Maurício Eskudlark (PL) noticiou que o delegado-geral, Marcos Ghizoni, visitou os gabinetes parlamentares para prestar contas dos recursos que foram destinados pelos deputados para a Polícia Civil.

“A gente fica feliz, vários deputados fizeram a destinação para a PMSC, Polícia Civil, IGP em montantes variados, é claro que nem todos têm uma ligação tão forte quanto eu tenho”, ponderou o ex-chefe da Polícia Civil, que destinou R$ 1,9 mi à corporação para compra de viaturas.

Comente com o Facebook