Smart Cities: Florianópolis é a 2ª cidade mais inteligente do Brasil e 1ª colocada na região Sul


“Há dois anos estávamos em sétimo lugar, e em 2021 repetimos a segunda colocação que já havíamos conquistado em 2020. É o reconhecimento ao esforço do ecossistema de inovação e do trabalho que o setor público vem desenvolvendo no município e que passa por parcerias, capacitações e benefícios da lei municipal de inovação”, avalia Topazio. O vice-prefeito fez questão de destacar a postura do prefeito Gean Loureiro, que se recupera de uma cirurgia e não pode comparecer. “Nas duas gestões em Floripa o Gean sempre foi um entusiasta da inovação, e esse prêmio é um justo reconhecimento”, disse.

O ranking deste ano analisou 677 municípios brasileiros com mais de 50 mil habitantes, quatro a mais do que na edição passada. A análise é composta por 75 indicadores em 11 eixos temáticos: Mobilidade, urbanismo, Meio Ambiente, Tecnologia e Inovação, Empreendedorismo, Educação, Saúde, Segurança, Energia, Governança e Economia.

Florianópolis ficou conhecida como Ilha do Silício brasileira pelo fato de ter um ecossistema tecnológico que dá origem a grandes empresas no setor. Incentivos do governo, como a criação da Lei Municipal de Inovação e o Plano de Ação em Ciência, Tecnologia e Inovação (C,T&I) são responsáveis por atrair empresas de base tecnológica, contando com aproximadamente 4 mil empresas de software, hardware e serviços de tecnologia.

O conceito de cidades inteligentes defendido pelo Connected Smart Cities é o do município que provê soluções e qualidade de vida a seus habitantes, com ou sem o uso de tecnologias, e os novos indicadores trazem facilidades e melhoria à população, com o uso de tecnologia.

O evento em São Paulo segue até amanhã (dia 2) e reúne especialistas, entidades, empresas e governos engajados que apresentam as melhores práticas para o desenvolvimento das cidades.


Comente com o Facebook