Balneário Camboriú inicia campanha “Não dê esmola, dê oportunidade. Ligue 156”

    , SC Hoje News - Notícias de Balneário Camboriú

    “Não dê esmola, dê oportunidade. Ligue 156”, este é o mote da campanha de conscientização desenvolvida pela Prefeitura de Balneário Camboriú que começou sua ação nos principais semáforos da cidade nesta quinta-feira (28). O objetivo da campanha é estimular a população para que ligue para o 156, número da Abordagem Social, em vez de dar esmola, criando oportunidade de atendimento especializado às pessoas em situação de rua.

    “A melhor maneira de ajudar as pessoas em situação de rua é dar oportunidade a elas. Enquanto se dá esmola, se mantém essas pessoas nesta situação. Quando se chama a equipe de abordagem social, este cidadão tem o encaminhamento correto e um atendimento digno e especializado”, explica a Secretária de Desenvolvimento Social, Christina Barrichello.

    Também os comércios, bares e restaurantes serão visitados por equipes que distribuirão material informativo e orientarão os comerciantes sobre a necessidade de fazer o encaminhamento via 156 de pessoas em situação de rua.

    Até o mês de outubro deste ano, a equipe de Abordagem Social realizou 14.615 acolhimentos, cedeu 637 passagens rodoviárias, e 193 internações em Centros para Tratamento de Dependência Química. No total, 2.264 pessoas em situação de rua receberam algum auxílio da Inclusão Social no ano de 2019. São atendidas em média 120 pessoas que nunca haviam sido ajudadas por mês.

    Para a secretária de Desenvolvimento e Inclusão Social, o esforço é constante para auxiliar essas pessoas. “Temos duas equipes matutinas, duas vespertinas, uma noturna e uma de madrugada, atendendo de maneira constante as demandas da cidade. Além disso, teremos um ponto fixo na Praça Almirante Tamandaré e pessoas da equipe da Abordagem de bicicleta e motocicleta”, explica Christina.

    Na Casa de Passagem os frequentadores participam de aulas de ginástica, atividades laborais e recebem as visitas de instituições para conversas. “Queremos mostrar que ainda há jeito de recomeçar, de reconstruir a vida e a autoestima”, completa a Secretária.