Audiência pública é realizada em Itajaí

Continua após a Publicidade

A sessão sobre a aplicação dos recursos destinados ao Hospital Marieta ocorreu no dia 16 de novembro

A deputada Ana Caroline Campagnolo (PL) presidiu uma audiência pública na Câmara de Vereadores de Itajaí. A audiência foi realizada pela Alesc para o esclarecimento de dúvidas sobre a aplicação dos recursos destinados ao Hospital Maternidade Marieta Konder Bornhausen.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

A reunião foi solicitada ao gabinete de Campagnolo pelo vereador Rubens Angioletti, e contou com a presença de diretores da instituição, representantes de associações, líderes comunitários e diversas autoridades da região da Foz do Itajaí, motivados pelo propósito de trazer mais transparência à real situação financeira do hospital, que cobre um total de 11 municípios.

Estas foram as principais informações expostas na audiência:

1. A unidade conta atualmente com 357 leitos, 1.325 colaboradores, 300 médicos e 42 residentes de medicina. Dos 357 leitos, 310 são do SUS e 47 convênios leitos;

2. De janeiro a outubro deste ano foram realizados 233.334 atendimentos médicos. Desses, 203.578 (87,24%) pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e 29.756 atendimentos por convênios ou particular;

3. 45.386 atendimentos no Pronto-Socorro, 9.672 cirurgias, 3.521 partos, 2.899 pacientes atendidos na UTI adulto, 906 na UTI Neonatal, 454.228 exames e 33.918 atendimentos ambulatoriais;

4. R$ 134,4 milhões já foram investidos nas obras do Complexo Madre Teresa para a instalação de 241 novos leitos de internação, 10 leitos de UTI Neonatal e 20 leitos de UTI adulto distribuídos em 15 pavimentos, além da ampliação de setores que já existem;

5. O hospital está enfrentando um déficit operacional. Atualmente, a receita bruta mensal é de R$ 14 milhões, enquanto as despesas giram em torno de R$ 16 milhões;

6. Essa disparidade ocorre devido à compra de medicamentos, que saltou de R$ 2,6 milhões mensais em 2020 para R$ 3,5 milhões após a pandemia, além do encarecimento no custo de manutenção do corpo clínico;

7. Sobre as denúncias de desvios de recursos – em torno de R$ 1 milhão –, uma auditoria externa foi contratada para que todas as contas do Hospital sejam analisadas, e, mesmo que provas não tenham sido apresentadas, uma reestruturação administrativa vem sendo realizada.

Fonte: Agência ALESC – Gabinetes

Continua após a Publicidade