Prefeito de Camboriú participou de missão internacional para a implantação do Projeto de Mobilidade Integrada e Sustentável (PROMOBIS)

Continua após a Publicidade

Prefeitos e técnicos de municípios da AMFRI deram mais um passo rumo a idealização do milionário Projeto de Mobilidade Integrada e Sustentável (PROMOBIS) na macrorregião

Terminou neste sábado, 19, a Missão Técnica Internacional dos prefeitos da Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí (AMFRI) para futura implantação do Projeto de Mobilidade Integrada e Sustentável (PROMOBIS). O prefeito de Camboriú, Elcio Rogério Kuhnen, integrou a comitiva de prefeitos e representantes da AMFRI. Durante seis dias, eles realizaram visitas técnicas em São José dos Campos (SP), Santiago do Chile (Chile) e Santa Fé (Argentina) com o objetivo de conhecer e avaliar soluções nas vertentes de mobilidade urbana integrada.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

“A sustentabilidade é uma das bandeiras da nossa gestão. A Missão Promobis caminha lado a lado com o nosso pensamento de uma administração eficiente e que promova o desenvolvimento do município. Com esse projeto vamos trazer mais mobilidade e uma melhor qualidade de vida para os moradores da região da AMFRI.”, ressalta o prefeito de Camboriú, Elcio Rogério Kuhnen.

Sobre o PROMOBIS/AMFRI:

O PROMOBIS é um projeto pioneiro no Brasil, pela proposta de gestão consorciada, composto por três grandes iniciativas que podem mudar o futuro da região para melhor: um Sistema de Transporte Coletivo Regional – que vai integrar e interligar os 11 municípios da AMFRI com veículos elétricos e reurbanização de vias; o Túnel Imerso entre Itajaí e Navegantes; e a Mobilidade Ativa em Balneário Camboriú, por meio do Programa Caminhos do Mar.

Ao todo, serão investidos US$ 120 milhões com recursos públicos, sendo US$ 90 milhões provenientes do Banco Mundial (BIRD) e US$ 30 milhões da contrapartida do financiamento, podendo ser amortizados em até 25 anos. Já os investimentos privados, considerando o Sistema de Transporte Coletivo/AMFRI e o Túnel Imerso, deverão ultrapassar a casa dos US$ 240 milhões.

Como foi a viagem?

Em Santiago, no Chile, a comitiva conheceu a realidade da cidade que precisou se adaptar e encontrar soluções para combater os altos índices de poluição e tornar a cidade mais sustentável e humana. Pode-se perceber a preocupação em arborizar a cidade por toda parte, seja nas vias ou em parques, além de parques urbanos em todos os bairros.

Além disso, a fim de incentivar o uso do transporte público em detrimento ao uso de automóveis particulares, Santiago aposta nos eixos ambientais. Dessa maneira, eles permitem a circulação dos ônibus elétricos em uma via exclusiva. Assim, a iniciativa encoraja a população a utilizar o transporte público, devido ao tempo de viagem e qualidade.

A comitiva da AMFRI encerrou a visita com a diretoria do Metbus, maior operadora de transporte pública e pioneiro em transporte elétrico. Por fim, a comitiva visitou o projeto do Túnel Subfluvial do Rio Paraná, que foi construído em 1964. O túnel liga Santa Fé e Paraná, uma viagem que antes levava horas, é feita em questão de minutos.

Fonte: Prefeitura de Camboriú – SC

Continua após a Publicidade