Livro comemora trajetória de associação de oficiais militares

- PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

Há 23 anos a Associação Capitão Osmar Romão da Silva vem atuando na relação governamental e na construção de legislações em prol dos oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina. A trajetória da entidade virou livro, de autoria da jornalista Ana Lavratti, lançado na tarde desta quarta-feira (16) no hall da Assembleia Legislativa.

“Acors – Consolidando o valor de quem comanda com virtude” apresenta a coragem dos 31 fundadores, numa época em que o associativismo incitava represálias do governo e das próprias corporações. “A Acors é uma referência para as outras entidades do Brasil, sendo precursoras da Federação Nacional de Entidades de Oficiais Militares Estaduais (Feneme), criada em Florianópolis, em 2006”, informou seu presidente, coronel Sérgio Luís Sell.

- PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

Educação, assessoria jurídica, marketing, fomento à literatura e representação junto aos poderes constituídos formam os pilares de atuação. O dirigente aponta como conquistas da categoria a exigência de carreira jurídica para a PM e de nível superior para o Corpo de Bombeiros Militar, o subsídio para a Segurança Pública, assim como lutas nacionais como a aprovação do Sistema de Proteção Social dos Militares e a Lei de Organização Básica dos Militares Estaduais e do Distrito Federal.

Literatura e oratória
Coronel Sell aponta com orgulho o apoio da Acors ao lançamento de mais de 60 livros e revistas de autoria dos associados, lembrando ainda os cursos de Oratória e Relações Governamentais, oferecidos aos cadetes da Polícia Militar e a 30% dos 1.300 integrantes da associação.

Exemplo nacional
O deputado Coronel Mocellin (Republicanos) afirmou que a atuação forte e vibrante da Acors mudou a maneira como a sociedade enxerga os oficiais militares. “As questões jurpidicas foram reivindicadas com mais força, hoje a Acors é um exemplo nacional na representação da categoria nos estados, em Brasília e junto à Justiça.”

Fonte: Agência ALESC

Continua após a Publicidade