Renovação na Alesc é de 40%; 13 partidos terão representantes em 2023

- PUBLICIDADE -

Dos 40 deputados eleitos neste domingo (2) para a Assembleia Legislativa, 16 deles conquistaram seu primeiro mandato para o Legislativo catarinense. Os outros 24 foram reeleitos para mais um mandato.

Dos 16 novatos, dois já exerceram mandato como suplentes na Alesc: Carlos Humberto (PL), por 60 dias em 2020, e Pepê Collaço (PP), que esteve na Assembleia também por 60 dias neste ano.

- PUBLICIDADE -

Os outros 14 estarão pela primeira vez no Parlamento estadual. Quatro deles nunca tiveram outro cargo eletivo, ou seja, estarão pela primeira vez no exercício de um mandato: Mario Motta (PSD), Egídio Ferrari (PTB), Matheus Cadorin (Novo) e Sérgio Guimarães (União).

Partidos
Treze partidos conquistaram vaga para a Assembleia em 2023. Este número é recorde na história do Parlamento estadual, e supera a marca anterior, que era de 12, registrada nas eleições de 2018.

O PL terá a maior bancada, com 11 cadeiras. É a primeira vez na história da Alesc que o PL elege o maior número de deputados, posição que, desde 1982, foi ocupada apenas por MDB e PP.

O MDB elegeu o segundo maior número de deputados: seis, ao todo. O PT conquistou quatro vagas e terá a terceira maior bancada.

Psol e Novo elegeram, pela primeira vez, deputados para a Alesc. Os dois partidos já tiveram parlamentares na Casa, mas eles foram eleitos por outros partidos e, já no exercício do mandato, migraram para Psol e Novo.

Partidos que elegeram deputados para a próxima legislatura da Assembleia:

  • PL – 11 cadeiras
  • MDB – 6 cadeiras
  • PT – 4 cadeiras
  • Podemos – 3 cadeiras
  • PP – 3 cadeiras
  • PSD – 3 cadeiras
  • União Brasil – 3 cadeiras
  • PSDB – 2 cadeiras
  • Novo – 1 cadeira
  • PDT – 1 cadeira
  • Psol – 1 cadeira
  • PTB – 1 cadeira
  • Republicanos – 1 cadeira

Fonte: Agência ALESC