Porto de Itajaí registra milésima manobra na área da nova Bacia de Evolução

- PUBLICIDADE -

Nesta quinta-feira (01), o Complexo Portuário do Itajaí alcançou a marca de 1.000 giros na área da nova Bacia de Evolução. A milésima manobra ocorreu em ré, puxada por quatro rebocadores, e iniciou às 15h com o navio MSC Agrigento, de bandeira do Panamá. A embarcação mede 299,95 metros de comprimento por 48,20 de largura.

O navio veio do Porto de Paranaguá (PR) e seguiu seu trajeto marítimo com destino ao porto de Santos (SP). Segundo o setor de operações, ele operou 2.297 contêineres (TEU’s), que totalizam 34.842 toneladas.

“O sucesso deste projeto certificou a permanência do Porto de Itajaí na competitividade do mercado marítimo, aumentando sua produtividade. Nos últimos anos, o Porto de Itajaí tornou-se um exemplo de gestão portuária pública e municipal, refletindo na importância econômica de Santa Catarina e do Brasil”, comenta o superintendente do Porto de Itajaí, Fábio da Veiga.

A primeira fase do projeto de ampliação do acesso aquaviário para o Complexo Portuário do Itajaí foi concretizada em 2019, proporcionando a chegada de navios de até 350 metros. A manobra de ré, realizada com o navio “VALOR” de 300 metros de comprimento e 48,3 metros de largura, ocorreu no dia 16 de janeiro de 2020. O giro foi um marco para Itajaí, já que foi realizado pela primeira vez no Brasil e América Latina.

Localizada na área da Baía Afonso Wippel, a Bacia de Evolução possibilitou que o comprimento máximo de navios no Complexo Portuário saltasse de 306 metros para 350 metros de comprimento, além aumentar a entrada e saída de navios no período noturno, que passou a ser 306 metros. As obras da bacia receberam investimentos de R$ 120 milhões, com recursos do Governo do Estado e do Município de Itajaí. A conclusão só foi possível porque o Município viabilizou um aditivo contratual de R$ 40 milhões para a dragagem.

“Concretizar a primeira fase deste projeto foi uma das maiores conquistas que nós alcançamos para a atividade portuária. Dados estatísticos comprovam a importância econômica do complexo para o progresso de Santa Catarina, proporcionando emprego e renda para a nossa região”, ressalta o prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni.

Projeções para segunda etapa

A segunda etapa da Bacia de Evolução está projetada para receber navios de até 400 metros de comprimento por 60 de largura. O projeto possibilitará que o complexo acompanhe a nova realidade do comércio marítimo internacional com a entrada de navios ainda maiores. A obra é estimada em R$ 220 milhões e deve ser custeada pelo Governo Federal.

“Todas as manobras realizadas foram e continuam sendo um grande reflexo das aplicações de investimentos necessários, que transcenderam o sucesso do nosso Porto. Isso torna ainda mais evidente a relevância e a necessidade de nos prepararmos para as obras da segunda etapa, para concretizar de forma definitiva esse projeto estratégico e fundamental para o Porto de Itajaí e para o estado de Santa Catarina”, conclui o superintendente Fábio da Veiga. 

Fonte: Prefeitura de Itajaí