Escolas Municipais de Joinville recebem pré-seletivas da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil

- PUBLICIDADE -

Centenas de alunos da Rede Municipal de Joinville estão participando das pré-seletivas da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil até 3 de outubro. A oportunidade de tentarem uma vaga para ingressarem na única filial do tradicional balé russo fora de Moscou ocorre por meio de uma parceria entre a Secretaria de Educação e a Escola Bolshoi para realização de testes em 66 Escolas Municipais, contemplando todas as regiões da cidade.

Participam dos testes crianças nascidas entre 2011 e 2014 de Joinville. Esta etapa é focada nas avaliações físicas: os meninos e meninas fazem exercícios básicos como pular e encostar as mãos nos pés sem dobrar os joelhos, por exemplo. Por meio deles, os avaliadores analisam se as crianças possuem o perfil necessário para se desenvolverem no Método Vaganova, utilizado para o ensino de dança clássica na instituição.

“Neste momento, eles não precisam ter conhecimento prévio de dança. O que verificamos são características como a capacidade de flexibilidade, de alongamento e de rotação do quadril, entre outros dados”, explica a professora da Escola Bolshoi Gabriella Victoria.

Os classificados nesta etapa são encaminhados para a seleção nacional, que ocorre nos dias 7 e 8 de outubro nas instalações da Escola Bolshoi, com crianças de todo o país. As crianças aprovadas nessa seleção final ingressarão na primeira série em 2023.

O secretário de Educação, Diego Calegari, celebra essa parceria. “Este é um trabalho conjunto, que contou com a sensibilização dos professores e gestores para que as crianças compreendessem a importância de participar. É uma oportunidade valiosa, que pode ser transformadora para nossos alunos caso conquistem uma vaga. O simples fato de participarem dos testes já oferece uma experiência diferente, que amplia a concepção de mundo dessas crianças”, analisa.

As pré-seletivas nas escolas municipais de Joinville são uma tradição desde a fundação da Escola Bolshoi no Brasil, interrompida somente pela pandemia. Segundo o diretor-geral do Bolshoi Brasil, Pavel Kazarian, esta é uma forma de garantir o acesso das crianças que vivem na cidade-sede à audição.

“A pré-seleção nas escolas garante a descoberta de muitos talentos. Há crianças que nunca iriam participar da audição se não fosse um professor a indicá-lo e incentivá-lo a fazer os testes dentro da unidade escolar. Foi assim que descobrimos talentos como Erick Swolkin, que por 10 anos foi bailarino do Teatro Bolshoi de Moscou, e Karine de Matos, contratada pela Salzburger Landestheater, na Áustria”, afirma Pavel.

Fonte: Prefeitura de Joinville