Prefeitura reconhece Sociedade Kênia Clube como Patrimônio Imaterial de Joinville

- PUBLICIDADE -

Nesta quarta-feira (17/8), data em que se comemora o Dia Nacional do Patrimônio Cultural, Joinville celebrou uma importante iniciativa ao reconhecer a Sociedade Kênia Clube como Patrimônio Imaterial da cidade, na categoria Registro Lugar de Memória.

Durante o ato que oficializou o registro, o prefeito Adriano Silva e a vice-prefeita Rejane Gambin entregaram ao presidente da Sociedade Kênia Clube, Edson Luís Sestrem, a placa comemorativa ao título.

O prefeito Adriano Silva reforçou a importância do reconhecimento à Sociedade Kênia Clube como uma demonstração para crianças e jovens, de que o respeito e a igualdade devem estar sempre presentes na sociedade.

“É uma forma de respeitarmos a história das famílias negras que vieram para Joinville e a própria Sociedade Kênia Clube. A história dos negros também está contada no nosso Museu Nacional da Imigração e Colonização, pessoas que contribuíram e ainda contribuem, como tantos outros imigrantes, a fazer de Joinville a melhor cidade do país”.

Com a iniciativa, a Sociedade Kênia Clube passa a ser o primeiro Patrimônio Imaterial de Joinville registrado de acordo com as normas patrimoniais brasileiras, e integra o Patrimônio Cultural da cidade, atualmente formado por aproximadamente 200 bens tombados e inventariados.

“Hoje, ao concedermos o registro de Patrimônio Imaterial à Sociedade Kênia Clube, garantimos justiça aos negros que fundaram e mantiveram essa instituição por tantas décadas”, declarou o secretário de Cultura e Turismo de Joinville, Guilherme Gassenferth.

História e reconhecimento

A Sociedade Kênia Clube foi criada anos 60, com o objetivo de oferecer um espaço para encontro e socialização de famílias negras que viviam na cidade. Foi uma das precursoras nas manifestações de Carnaval, em Joinville, sendo responsável pela criação da “Escola de Samba Amigos do Kênia”, em 1968, que posteriormente passou a ser denominada “Escola de Samba do Kênia Clube” e, desde 1986, a Príncipes do Samba.

A trajetória da Sociedade Kênia Clube e suas contribuições para a comunidade, foram lembradas pelo presidente da entidade, Edson Luís Sestrem.

Segundo ele, por longos períodos a Sociedade foi abrigo de genuínas manifestações culturais, como a capoeira, curimba, hip hop, macaractu, além da tradição carnavalesca, com a Escola Príncipes do Samba.

“Esse título representa o reconhecimento, por parte do município, de mais de seis décadas de evocação da nossa rica cultura carnavalesca, nossas expressões culturais, nosso ponto de encontro, enfim, uma das nossas referências culturais em Joinville”, declarou Sestrem.

O reconhecimento da Sociedade Kênia Clube como Patrimônio Imaterial de Joinville foi obtido após sete anos em tramitação. O processo de reconhecimento foi aprovado pela Comissão do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Natural do Município de Joinville (Comphaan) e incluído no Inventário do Patrimônio Cultural Imaterial – IPCI.

Fonte: Prefeitura de Joinville