Educação Socioemocional promove formação para profissionais da área


Família e escola: uma parceria que dá certo. Partindo deste preceito, a Secretaria Municipal de Educação, através do programa de Educação Socioemocional, realiza ao longo de toda esta semana uma formação para professores, agentes de atividades em educação, especialistas e diretores escolares, além de encontros com as famílias. A formação começou na segunda-feira (16) e segue até sexta (20), nos períodos matutino e vespertino, no auditório da Secretaria de Educação e deve envolver cerca de 700 profissionais da Educação. Já os encontros com as famílias, que acontecem no período noturno, começaram na segunda e seguem até quinta-feira (19), divididos por Polos Educacionais. Nesta quarta, os encontros serão nos bairros São Judas, Fazenda e Salseiros e, na quinta-feira, na Itaipava e novamente no bairro Salseiros, envolvendo as famílias de outras unidades de ensino.

“Estão sendo dias prazerosos de muito aprendizado e nos quais estamos tendo a oportunidade de estarmos próximos dos nossos professores e das famílias dos nossos alunos. Estamos tendo trocas bastante significativas para podermos colocar em prática, em sala de aula, ao longo de todo ano. Eu diria que este encontro é uma espécie de renovação para mais um ano escolar”, declarou a coordenadora da Educação Socioemocional de Itajaí, Kátia Teixeira.

A formação conta com a participação dos consultores da Inteligência Educacional de Goiânia (GO) e do professor e mestre em história, Rodrigo Bueno, do Rio de Janeiro (RJ). Rodrigo é formador de professores com importantes contribuições para as relações humanas através da educação e possui treinamento pelo CNVC (Center for NonViolent Communication). O professor palestra sobre “O Oposto da Vida não é a Morte, mas sim o Desencanto”, promovendo uma série de reflexões com os servidores da área.

“O desencanto acontece quando perdemos nosso propósito, quando negligenciamos coisas importantes para as nossas vidas. Dessa forma, o corpo paralisa e aí vem as doenças, como depressão e ansiedade, gerando uma desconexão entre a pessoa e a vida dela – fazendo com que se perca o brilho e a energia vital. A partir desse ponto precisamos nos reencontrar para nos ‘reencantar’. Quando eu consigo entender as minhas tristezas, eu consigo lidar e entender os desencantamentos dos meus alunos e aí entra uma habilidade muito importante – a escuta – sinônimo de empatia, que pode gerar experiências transformadoras nas relações pessoais, familiares e até na vivência escolar”, enfatizou o professor e palestrante Rodrigo Bueno. 

Após as palestras, os consultores da Inteligência Educacional fazem a aplicação do conhecimento nos territórios em que os professores trabalham, com vivências bastante significativas para o dia a dia nas salas de aula.

“Família é a base que dá sustentação” é o tema dos encontros realizados com as famílias durante as noites. Nestes momentos, os consultores fazem alusão da construção de uma casa com a família, mostrando que assim como a estrutura de uma residência, a família também precisa ter uma base sólida para ser forte perante as dificuldades.

“Ressaltamos bastante a importância da participação das famílias no contexto escolar e da importância de tirar momentos do dia para que elas criem laços com os seus filhos. Também passamos dicas de filmes para assistirem juntos e de algumas ferramentas, a fim de que possam observar o que cada membro da família pode melhorar”, ressaltou o consultor Frank Boniek Coelho.

Comente com o Facebook