Casa Kruger reabre com lançamento do projeto Cicloturismo Circuito Dona Francisca


Autoridades, parceiros e o público participaram nessa terça (29) da cerimônia que marcou a reabertura da Casa Kruger, no distrito de Pirabeiraba. O portal cultural, turístico e econômico voltou a receber diariamente os visitantes e a funcionar como uma Central de Atendimento ao Turista (CAT), além de contar com exposições e eventos. O espaço servirá de apoio para as atividades da Associação do Turismo Eco-Rural de Joinville e da Associação Joinvilense de Agroindústrias Artesanais.

O evento contou com a presença das netas de Paulo e Wally Kruger, que foram proprietários da casa. “Nasci aqui e vivi até quase os 25 anos. Lembro em especial de momentos na sala de jantar, do chá da tarde e de ficar na varanda do sótão, de onde era possível ver o conjunto de montanhas quando não tinha o viaduto”, destaca Vanderléa Piske. Questionada sobre o que gostaria que o visitante imaginasse ao entrar no local, respondeu: “que imaginasse uma família feliz”.

E este é o intuito da Casa Kruger. Um local que acolhe o visitante de segunda a sexta-feira, das 8 às 18h, e nos fins de semana das 9 às 15h. Já no galpão anexo, aos sábados e domingos, ocorre das 8h às 17h a tradicional “feirinha” da Casa Kruger, ponto para a comercialização de produtos artesanais da região e alimentos orgânicos, como doces, cucas, queijos, salames, entre outros itens produzidos por agricultores da região.

Projeto Cicloturismo Dona Francisca

Outra novidade foi o lançamento do Projeto Cicloturismo Dona Francisca, iniciativa do Movimento Pedala Joinville, que contou com a consultoria do Clube de Cicloturismo do Brasil e apoio da Prefeitura de Joinville, por meio das Secretarias de Cultura e Turismo e Planejamento Urbano e Desenvolvimento Sustentável.

“Esse é um trabalho que vem sendo realizado há muito tempo entre a parceria da iniciativa privada e pública para potencializar ainda mais os atrativos de Joinville, inclusive reforçar nosso título de “Cidade das Bicicletas”. Além disso, vai interligar as cidades vizinhas porque tem roteiros integrados com São Francisco do Sul e Schroeder”, destaca Francine Olsen, diretora-executiva da Secult.

Esta primeira etapa envolve a sinalização do cicloturismo pelo município. No total, serão 189 placas indicativas de sentido (direção e quilometragem) e nos semi-pórticos apresentando o roteiro de atrativos turísticos e pontos de interesse público na região urbana e rural.

A Rota Piraí recebeu a sinalização por completo. Quem passar pela região poderá ver as placas nas estradas: Adolfo, Anaburgo, Blumenau Sul, Blumenau, Comprida, Serrinha, Atalho, Salto, Salto I, Morro, Portugueses, Mutucas, Piraí, Neudorf. Além dessa rota, outras sete serão implantadas: Estrada Bonita, Quiriri, Baía Babitonga, Rio do Júlio, Rota de Acesso, Rota dos Museus e dos Parques e Mirantes, sendo que as duas últimas já possuem sinalização.

A sinalização oportuniza conhecer uma série de roteiros para todos os gostos, perfis e tipos de ciclistas, do iniciante ao profissional. Percursos de terra ou asfalto, distâncias curtas ou longas, locais planos ou com subidas.

No trajeto, será acompanhado pela contemplação de paisagens em áreas de mata atlântica, cachoeiras, estradas cênicas, casas estilo enxaimel, lindos jardins, pontes de madeira, produto orgânicos e coloniais, plantações, flores, atrativos e equipamentos turísticos, gastronômicos, cervejarias artesanais e comércios.

Comente com o Facebook