Floripa 349: Maior revitalização da Praça Santos Dumont será entregue nesta quarta (23)


Muitos estudantes da Universidade Federal da Santa Catarina, ao retornarem às aulas presenciais no mês que vem, vão deparar-se com uma novidade e tanto, na vizinhança. Na metade do tempo em que estudaram à distância por conta da pandemia, a Prefeitura de Florianópolis executou a maior revitalização da Praça Santos Dumont, na Trindade. As obras serão entregues às 9hs desta quarta-feira (23), em comemoração ao 349º aniversário da cidade, com o tradicional corte do bolo.
 
A “Praça do Pida”, assim chamada com intimidade pelos universitários, é um dos lugares de descanso em meio à natureza preferidos por eles para “descompressão”. Imagina, agora, com todas as melhorias que o investimento histórico de aproximadamente R$ 1,85 milhão possibilitou, com a devida atenção à acessibilidade, tornando o espaço de convivência e lazer ainda mais inclusivo. Esta é mais uma ação do Programa Praça Viva conduzida pela Secretaria de Infraestrutura.
 
As obras na praça criada nos anos de 1970 de 8.377 metros quadrados de área total – a de maior extensão da região – foram iniciadas há um ano, e executadas pela empreiteira Satélite Construções e Engenharia Eirelli – EPP. O projeto urbano e paisagístico, contratado pela Dimas Empreendimentos Imobiliários Ltda., foi aprovado pelo Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (Ipuf).
 
“A Praça Santos Dumont passou por uma transformação radical nos seus quase 9.000 m2 com novos equipamentos urbanos, acessibilidade, área de eventos e nova iluminação dando mais segurança aos frequentadores”, destaca o secretário de Infraestrutura, Valter Gallina.
 
Dentre as principais realizações, pode-se destacar a área em frente à Igreja Matriz da Paróquia da Santíssima Trindade que foi reservada à realização de feiras e festas populares, considerada a mais nobre. Afinal, a Praça Santos Dumont é bastante conhecida por ser palco da Festa da Laranja e de outras atividades comunitárias e manifestações típicas da cultura açoriana.
 
Mas os serviços executados na praça também envolveram a regularização e preparação do terreno com muros de contenção; remoção de equipamentos como o playground e a academia de ginástica antigos, bem como do piso existente nesses espaços; podas de árvores, algumas com raízes expostas de tão senis – o que foi feito em parceria com a Fundação Municipal do Meio Ambiente (Floram); limpeza e levantamento topográfico da área.
 
Assim, foram instalados novo playground e academia de ginástica, bem como petplace; implantados equipamentos urbanos como bancos e mesas de concreto (inclusive para jogos), bicicletário e lixeiras; remodelado o paisagismo com o plantio de espécies como Quaresmeira, Jacarandá e Ipê da Praia, e de arbustos e gramas, e reformados e realocados os pontos de ônibus e de táxi.
 
Acessibilidade interna e externa
No interior da Praça Santos Dumont, boa parte das calçadas que ligam todos os acessos agora têm piso em concreto liso idêntico ao das calçadas externas – este, aliás, é tido como o principal serviço realizado no lugar. Outras áreas internas têm pavimento de base de concreto armado ou em paver (blocos de concreto intertravados). Sendo que os caminhos, rampas, escadarias e patamares (desníveis) atendem às normas de acessibilidade e mobilidade, de modo que contam com piso tátil onde necessário.
 
Já visando a acessibilidade externa, as calçadas que contornam a praça ganharam piso em concreto liso. E, para acessá-las, foram implantadas três faixas elevadas, ou seja, na mesma altura das calçadas, para pedestres, na Travessa São Lourenço de Brindes (a da Igreja Matriz da Paróquia da Santíssima Trindade). Enquanto nas outras duas vias em volta da Praça Santos Dumont – a Rua Lauro Linhares e a Rua Desembargador Vítor Lima (a do conjunto histórico da Igrejinha da UFSC) – o acesso se dá por faixas normais de pedestres (uma em cada rua) junto à rótula da UFSC recuadas. Isso porque, no lado da praça, foram criados canteiros. Além do que, a outra faixa de pedestres existente em cada uma dessas duas vias passaram a contar com rampas para as novas calçadas rebaixadas.
 
Nova iluminação pública
A Praça Santos Dumont ainda foi contemplada com um novo sistema de iluminação pública liderado pela Cosip, e cujo serviço de infraestrutura coube à empresa Quantum Engenharia. O sistema conta com 48 postes em compósito, novo circuito subterrâneo de rede elétrica, 56 luminárias tipo LED (mais econômicas) de 54/150W e 15 projetores de alto rendimento com lâmpadas multivapor metálico 400W.
Por orientação do Ipuf, foram conservadas as luminárias que eram da década de 1990. Sendo que os postes com estas luminárias foram apenas realocados.
 
Importância histórica
A Praça Santos Dumont, que fica entre a Rua Lauro Linhares, a Rua Desembargador Vítor Lima e a Travessa São Lourenço de Brindes, integra o conjunto histórico da Igrejinha da UFSC e por isso encontra-se em área de preservação cultural.
 
Segundo informações repassadas pela Secretaria de Cultura e Arte da universidade, as edificações que compõem o conjunto histórico da Igrejinha da UFSC foram construídas e funcionaram como capela da Santíssima Trindade, salão paroquial e Casa do Divino. A igrejinha, especificamente, foi construída em 1848, porém, inaugurada oficialmente em 1853. A estrutura preservada através de várias reformas no decorrer dos anos é constituída de pedras grandes e pequenas unidas por argamassa feita de materiais de construção comuns à época como areia de praia e conchinhas. Ela foi, originalmente, pintada de amarelo (da argila) por fora, e azul (do anil de origem vegetal) em seu interior.
 
Já de acordo com a Paróquia da Santíssima Trindade, em 1853 foi criada a freguesia da Santíssima Trindade de Trás do Morro, desmembrada da Paróquia Nossa Senhora do Desterro, de modo que a capela da Santíssima Trindade passou a servir de igreja matriz à nova freguesia. E, “em 1977, após ter sido construída nova e ampla igreja matriz, casa paroquial e salão, a velha igrejinha, a antiga casa paroquial, o salão e o império (a Casa do Divino) foram transferidos ao patrimônio da UFSC”. Para a nova igreja, erguida numa das laterais da Praça Santos Dumont, foi transladada a imagem da Santíssima Trindade feita pelo artista Fernand Demetz, em Ulrich-Gröden, Tirol, Áustria, na igrejinha desde 1909.
 
Ainda conforme a Secretaria de Cultura e Arte da UFSC, na gestão do reitor Gaspar Eric Stemmer, optou-se por transformar a igrejinha em espaço cultural, haja vista que talvez fosse a última reserva arquitetônica de época da Trindade. Então, desde 1978, ela foi destinada – até por sua boa acústica – a apresentações, sobretudo musicais, sendo atualmente, inclusive, a sede dos projetos da Orquestra de Câmara e Madrigal e do Coral da UFSC. 
 
Também em 1978, foi inaugurado o painel mural “Humanidade” pintado na parede do antigo altar pelo artista plástico Hiedy Assis Corrêa (o “Hassis”), que tendo morado no bairro, chegou a tocar o sino e ajudar nas missas, no local. A obra de arte ocupa o nicho deixado pela imagem sacra que foi para a nova igreja.
 
Já em 1979, o antigo salão paroquial, da década de 1950, que chegou a ser utilizado como albergue estudantil por um período, foi transformado no Teatro da UFSC, sendo utilizado, prioritariamente, para tal fim. Enquanto na Casa do Divino são ministrados cursos e oficinas.


Comente com o Facebook