Deputados criticam novos cortes nas BRs e aumentos dos combustíveis


Novos cortes nos recursos federais para as BRs 280, 470, 285, 282 e 163 e o aumento de 18,8% na gasolina e 24,9% no diesel mereceram críticas veementes de parlamentares na sessão de quarta-feira (16) da Assembleia Legislativa.

“As rodovias perderam R$ 13,2 mi de acordo com a portaria publicada dia 25 de fevereiro. Foram R$ 5,5 mi da BR-280; R$ 4 mi da BR-470; R$ 1,4 mi da BR-285; R$ 1,3 mi da BR-282 e R$ 1,3 mi da BR-163. São recursos de manutenção e foi o segundo corte. Em janeiro foram cortados R$ 43 mi e no final de novembro houve corte de R$ 25 mi das rodovias do Litoral e R$ 14 mi das rodovias do Oeste”, relatou Fabiano da Luz (PT).

O deputado ironizou as 15 visitas feitas pelo presidente Bolsonaro ao estado, uma vez que nove delas foram para o gozo de férias.

“Nosso lucro está no gasto do cartão corporativo”, finalizou.

Já o deputado Celso Zuchi (PT) lamentou o aumento da gasolina, do diesel e do gás de cozinha e responsabilizou a política de dolarização dos preços dos combustíveis adotada por Temer e depois pelo governo Bolsonaro como responsável pela disparada nos preços.

“A Petrobrás deixou de exercer o poder de mercado, mesmo sendo uma empresa pública sob controle do governo federal”, avaliou Zuchi, acrescentado que atualmente a empresa não amplia os investimentos, não tem gasodutos, nem navios de transporte. “Virou exportadora de óleo cru”.

Para o deputado, uma alternativa seria a criação de um fundo para regular os preços internos com dinheiro retirado da cadeia produtiva do petróleo.

“A Petrobrás já não consegue reduzir sozinha os preços no mercado interno”, admitiu.

Projeto Golfinho
Volnei Weber (MDB) divulgou na tribuna a entrega de moção de aplauso de sua autoria ao Corpo de Bombeiros Militar pelo Projeto Golfinho, que desde 1998 oferece curso de salvamento aquático para crianças.

“Cada criança formada compartilha seu conhecimento com os pais e amigos, em 2022 já foram três mil novos golfinhos”, celebrou Weber.

Informação prévia
Sargento Lima (PL) comemorou decisão tomada durante audiência da Comissão de Finanças, que contou com a presença do secretário da Fazenda, Paulo Ely, de que nas próximas reuniões da referida Comissão em que participe a Fazenda, os dados referentes à apresentação da aludida Secretaria serão enviados com antecedência aos parlamentares.

“Se recebe previamente tem tempo de estudar a participar de forma efetiva, dando sentido à reunião”, justificou Lima.

Conversa com Aras
Sargento Lima revelou que conversou com o procurador-geral da República, Augusto Aras, sobre leis aprovadas no final de 2021, como a criação de cargos no Executivo, e que seriam inconstitucionais. A PGR já atua no caso.

Motolância
Ismael dos Santos (PSD) comemorou na tribuna o início dos trabalhos das primeiras motolâncias em Santa Catarina, adquiridas com recursos de emenda impositiva de R$ 230 mil patrocinada por Ismael e destinada a Balneário Camboriú.

“A motolância melhora o tempo de resposta, em uma cidade congestionada como Balneário até a ambulância chegar no local pode ser a diferença entre a vida e morte; gera economia, custa R$ 96 a hora dos profissionais, enquanto na ambulância o custo é de R$ 598 a hora. Começou ontem e atendeu um senhor de 99 anos que teve uma espécie de desmaio no passeio público. A motolância foi acionada, chegou e atendeu até a chegada da ambulância”, descreveu Ismael.

Dificuldade para sair do aeroporto
Fabiano da Luz (PT) relatou que os usuários do Aeroporto Internacional Hercílio Luz estão enfrentando problemas para deixarem o aeroporto de madrugada.

“Estão com dificuldade de conseguir transporte tanto de Uber quanto de táxi. Tem gente ficando próximo de duas horas esperando transporte, isso afeta o turismo, a imagem da Ilha não fica boa”.

Periciada por uma mulher
Fabiano da Luz lamentou o caso de uma criança de 12 anos que foi estuprada e em seguida atendida por uma policial mulher, que a encaminhou para uma psicóloga mulher, todavia a perícia foi realizada por um homem.

“Um constrangimento, um choque ser periciada por um homem, nesse momento delicado que seja uma técnica da área”, sugeriu.

Arcanjo 6
Bruno Souza (Novo) voltou a acusar o governador Carlos Moisés de utilizar para fins políticos a aeronave Arcanjo 6, avião ambulância do Corpo de Bombeiros.

“Acuso o governador de mentir, de estar usando equipamentos da saúde e deixando o catarinense desguarnecido”, disparou Bruno.

Segundo o deputado, uma mãe de Lages escreveu-lhe contando que o filho precisou de transporte aéreo e não foi atendido a tempo porque a aeronave estava indisponível.

“O médico pediu o transporte no dia 12 de janeiro, pediu o Arcanjo 6, aeronave equipada para transporte de pacientes, e ela estava com o governador”, garantiu Bruno.

Comente com o Facebook