Alesc firma convênio com IFSC para uso de carro elétrico


A Assembleia Legislativa firmou convênio com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (IFSC) para uso de um veículo cujo motor foi convertido para funcionar por meio de energia elétrica ao invés de combustível. A medida é vista pelas duas instituições como forma de divulgação, popularização e incentivo ao uso de energia renovável.

Durante o evento, realizado no Hall do Parlamento, o presidente da Casa, deputado Mauro de Nadal (MDB), explicou que o carro que será abastecido no eletroposto instalado na Alesc terá uso compartilhado entre os gabinetes. Por meio de um aplicativo, os interessados precisam fazer a reserva do carro com uma semana de antecedência. Na hora de usar, o motorista se aproxima do veículo, aciona o aplicativo e o carro será aberto automaticamente.

Para o reitor do IFSC, Maurício Gariba Júnior, a parceria surgiu de um “projeto audacioso” que envolve professores e alunos do campus Florianópolis da instituição de ensino. “Quero agradecer esse reconhecimento por parte da Casa do Povo e dizer da satisfação de estarmos assinando esse convênio”, comentou. A meta do projeto era fomentar parcerias entre os poderes públicos, concessionárias de energia elétrica, entidades de pesquisa visando a disseminação e popularização da mobilidade elétrica no país, além da criação de legislação sobre a conversão de motores de combustão para energia elétrica dentro das normas internacionais.

Segundo o IFSC, Santa Catarina é pioneira na conversão de veículos elétricos. “A Noruega em 2025 não venderá mais veículos à combustão. Em 2030 eles vão proibir que esses carros circulem. O que eles vão fazer com 60 milhões de veículos à combustão? É preciso ter uma tecnologia para fazer isso. E é isso que o IFSC traz hoje para a Assembleia Legislativa, a possibilidade de convertermos esses veículos e dar nova vida a eles, além de gerar empregos, tecnologia para todo o Estado de Santa Catarina”, afirmou o reitor.

Adriano Bresolin, coordenador do projeto, classificou a parceria com a Alesc como fundamental para levar à população a urgência do uso dos veículos elétricos. “O carro elétrico tem 90% de eficiência, enquanto o carro convencional tem 20%. Mas a energia verde precisa ser acessível. O apoio da Alesc leve a investimentos dos governos estadual e federal para que nossas empresas, startups e instituições públicas como IFSC possam alavancar o uso da energia e trazer a tecnologia para o cidadão catarinense.”

Ao comentar o convênio, Mauro de Nadal contou que em um primeiro momento imaginava que “seria algo de Europa e Estados Unidos”. Segundo ele, “há algum tempo” o seu gabinete recebeu uma indústria automobilística renomada mostrando um projeto na mesma linha. “E, na minha concepção, seria algo ainda em fase de primeiros passos no Brasil. Não deu 20 dias recebemos o IFSC apresentando todo esse trabalho, demonstrando a viabilidade de ter algo para experimento. A gente percebe que não só nos órgãos públicos, mas a iniciativa privada já começa a caminhar nessa mesma linha como uma conscientização muito forte nas questões ambientais”, relatou.

Segundo o presidente da Alesc, o uso do veículo pelo Parlamento é algo que vai difundir e incentivar as pessoas a pensarem nessa possibilidade. “A primeira pergunta que vem é o custo. Será acessível? Mas é por meio dos experimentos e de novas técnicas que a gente vai tornando esse experimento cada vez mais em conta e mais acessível. Somos pioneiros entre os órgãos públicos do Estado a se utilizar do veículo movido por energia elétrica. Isso é muito importante e tudo que depender do Parlamento as energias que daqui sairão em prol deste projeto são positivas.”

Comente com o Facebook