Intervenção urbana ‘Des-arquivo’ chega à fachada da antiga Galeria Açu-Açu


A intervenção urbana Des-arquivo chega dia 5 de dezembro, às 9h, ao prédio que abrigou em 1970 a Galeria Açu-Açu (Rua XV de novembro, 1.170, Centro). O projeto cultural Número 127 conta com o patrocínio da prefeitura e Secretaria Municipal de Cultura e Relações Institucionais (SMC), por meio do Fundo Municipal de Apoio à Cultura (FMAC). O projeto foi premiado pelo Edital 001/2021, permitindo assim o lançamento da intervenção na fachada da sede da primeira galeria de artes consolidada de Santa Catarina. O evento é gratuito.

A galeria Açu-Açu foi idealizada por Lindolf Bell, Elke Hering, Péricles e Arminda Prade. Lindolf Bell foi o personagem que esteve à frente do espaço durante seus 28 anos de existência, organizando exposições, leilões e exercendo a atividade de marchand. O imóvel está localizado na principal rua da cidade, em frente ao jardim do Teatro Carlos Gomes.

Arquitetura francesa

O prédio construído no estilo Art Déco – do francês “Arts Décoratifs”, que significa Artes Decorativas – é composto pela área térrea e o primeiro andar, mantendo até hoje as mesmas características de quando abrigava a galeria: a porta de entrada no térreo, a sacada curvada que levava o nome Açu-Açu, e as peças originas da porta e janelas de madeira. O modelo de construção remete ao movimento internacional moderno que ocorreu entre os anos de 1925 até 1939. Esse estilo também se manifestou nas artes visuais, escultura, design de interiores e industrial, cinema e moda.

A palavra arquivo, junto ao título do projeto “Des-arquivo Galeria Açu-Açu”, suscita a pensar sobre este movimento de arquivar e desarquivar. Do frescor dos dias áureos que aquele prédio abrigou há 51 anos, hoje o tempo revela sua passagem, ainda que a casa permaneça erguida com as portas e janelas fechadas transformada para outros usos.

Conduzem o projeto a produtora executiva Ana Paula Marcellino, pelos artistas Daiana Schvartz e Felipe da Costa (Coff), pelo diretor de fotografia Diego Dambrowski e pelo editor Fabrício Gustavo Gesser Cardoso. A equipe propõe a reativação do ambiente, pois entendem o arquivo como espaço de encontro com o outro, que se faz presente pela edificação que permaneceu.

Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello

postada em 25/11/2021 15:23 – 54 visualizações

Fotos

Comente com o Facebook