Fundação Genésio Miranda Lins lança Anuário de Itajaí 2020


A Fundação Genésio Miranda Lins lança, nesta quinta-feira (25), o Anuário de Itajaí 2020 – edição especial comemorativa aos 200 anos da colonização do Vale do Itajaí (1820-2020). O lançamento será às 18h, na Sala de Reuniões do Gabinete do Prefeito.

A obra trata das intenções de se fazer povoar a então Província de Santa Catarina cuja personagem central, Antônio de Menezes Vasconcellos de Drummond, torna-se inconteste como propulsionador dos futuros núcleos populacionais que motivaram a ocupação e o desenvolvimento para além da região do litoral Norte catarinense.

“Não se tratam de erros ou acertos: seu realizar (ou não) foi catalizador de propostas outras que, no decorrer da vida, empenharam atitudes e compromissos para formar, em dois séculos, o que habitamos: o corpo, a cidade, as comunidades em que vivemos e somos para que outros a herdem”, observa Rogério Lenzi, historiador e editor do Anuário de Itajaí.

Os textos que compõem esta edição alternam-se entre biografia, cronologia, maçonaria, inventário de publicações, teses e textos selecionados sobre um assunto que, ainda no século passado, causou debates profundos na historiografia local e catarinense.

“O cataclismo de tal anúncio, o leitor acompanhará na leitura do desenrolar dos atos, atitudes, pesquisas, pronunciamentos, retóricas e faíscas de atrito sobre o velar de um nome que se queira Patriarca – coisa que nunca houve”, finaliza Rogério.

O lançamento poderá ser acompanhado no Instagram seguindo a conta @arquivopublicoitajai a partir das 18 horas. Ao mesmo tempo, a Fundação Genésio Miranda Lins abre o edital para o Anuário de Itajaí 2021.

Abertura do edital para o Anuário de Itajaí 2021
Para dar continuidade ao periódico Anuário de Itajaí, a Fundação Genésio Miranda Lins abre, quinta-feira, dia 25, o Edital para recebimento de trabalhos. O edital se estenderá até o dia 04 de março de 2022, podendo ser enviados trabalhos dissertativos, crônicas, poesias, depoimentos, fotos, gravuras, entrevistas.
O Anuário de Itajaí foi uma feliz criação dos eméritos jornalistas itajaienses Juventino Linhares e Jayme Fernandes Vieira, no distante ano de 1924. Pretendiam esses fundadores que a publicação se fizesse a cada ano, recolhendo notícias de acontecimentos relevantes da cidade, assim como dar publicidade a trabalhos literários e outras informações úteis aos leitores. Essa primeira edição (hoje um volume raro e histórico) não foi seguida de outras, como era a intenção, até 1949, quando Marcos Konder e Silveira Júnior tornam a editar o Anuário. Também não houve continuidade e, em 1959, os jornalistas Laércio Cunha e Silva e Roberto Mello de Faria publicaram o Anuário desse ano e o de 1960, em comemoração ao 1º Centenário do Município de Itajaí.

A publicação foi retomada pela Fundação Genésio Miranda Lins no ano de 1998. O Anuário tem, desde então, a característica de anais da Fundação Genésio Miranda Lins para a publicação daquilo que se produz em Itajaí e região nos campos da história, da literatura, das artes, dentre outros.

Edital Anuário de Itajaí –2021
O Anuário de Itajaí é uma publicação anual da Fundação Genésio Miranda Lins que tem, por objetivo, divulgar trabalhos relacionados à cidade de Itajaí e região.
A Fundação receberá trabalhos para serem submetidos ao Conselho Editorial do Anuário no PERÍODO DE 25 DE NOVEMBRO DE 2021 A 04 DE MARÇO DE 2022. Os trabalhos deverão ser encaminhados para FUNDAÇÃO GENÉSIO MIRANDA LINS, CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E MEMÓRIA HISTÓRICA DE ITAJAÍ, ATRAVÉS DO E-MAIL [email protected] ATENÇÃO: SE CONSTAREM FOTOS NOS TRABALHOS, AS MESMAS DEVERÃO SER ANEXADAS UMA A UMA JUNTAMENTE COM O DOCUMENTO EM WORD.
Normas:
1 – O periódico Anuário de Itajaí aceita trabalhos inéditos na forma de artigos, depoimentos, crônicas, resenhas e fotografias relacionados à cidade de Itajaí e região.
2 – Os trabalhos textuais devem ser encaminhados via e-mail para [email protected]
3- São aceitos textos no gênero crônica, depoimento, texto dissertativo, poesia, prosa, bem como fotografias (devidamente identificadas) que dizem respeito à vida social, cultural, esportiva, política e econômica de Itajaí e região.
4 – As fotografias devem ser acompanhadas de uma folha descritiva contendo ano (se possível), assunto e identificação do local e de pessoas.
5 – Os trabalhos devem ter:
I – para crônicas, no máximo cinco (5) páginas;
II – para depoimentos, no máximo cinco (5) páginas;
III – para textos dissertativos, de dez (10) a vinte (20) páginas.
IV – para poesia e/ou prosa, de uma (1) a cinco (5) páginas.
V – para fotografias/gravuras/desenhos, de preferência, originais (que serão reproduzidos digitalmente e devolvidos) ou em formato digital (deve-se localizar a foto com local, data, assunto).
6 – Estrutura dos trabalhos autorais:
I – crônicas: título, nome e credenciais do autor, desenvolvimento do texto;
II – depoimentos: título, nome e credenciais do autor, desenvolvimento do texto;
III – trabalhos dissertativos: título, nome e credenciais do autor, desenvolvimento do texto (podendo ser dividido em intertítulos).
7 – Quanto à formatação dos trabalhos:
I – Os parágrafos devem ser justificados. Não devem ser usados recuos, deslocamentos, nem espaçamentos antes ou depois. Não se deve utilizar o tabulador para determinar os parágrafos. O , utilizado no final de cada parágrafo, determinará a separação entre um e outro parágrafo;
II – A formatação do corpo de texto e da página devem ser: Entrelinha 1,5. Fonte Times New Roman. Corpo 12. Tamanho da página: A4. Margens: superior (3 cm), inferior (2,5 cm) e as laterais 2,5 cm. Recuo de 1 cm na primeira linha, caracterizando o parágrafo.
8 – Para trabalhos dissertativos de caráter acadêmico:
I – citações no interior do texto inferiores a três linhas deverão ser digitadas entre aspas. Ao final da citação deverá ser indicada, em nota de fim de texto, a obra citada;
II – as citações que ultrapassarem mais de três linhas deverão ser deslocadas do parágrafo, com recuo de 4cm em todo o texto e corpo 11;
III – as citações contidas no texto deverão constar nas referências ao final do texto;
IV – as notas de fim de texto deverão conter somente comentários necessários, em corpo 11, com espaçamento simples;
V – as referências, em ordem alfabética, no final do capítulo, devem seguir as normas da ABNT.
VI – Os textos publicados são de inteira responsabilidade dos seus autores.
VII – Os direitos da publicação ficam reservados à Fundação Genésio Miranda Lins.
VIII – O Conselho Editorial é soberano em suas avaliações.
Mais informações: Centro de Documentação e Memória Histórica – (47) 3348-1886 – Rogério.
 

Comente com o Facebook