Mina de Visitação Octávio Fontana completa 10 anos em Criciúma


Notícias de Santa Catarina - SC HOJE News

A noite dessa quinta-feira (28) foi especial, com homenagens e lembranças dos 10 anos da Mina de Visitação Octávio Fontana. Um evento marcando essa primeira década de história foi realizado no local, com a presença de autoridades, da família Fontana e de pessoas que trabalharam na mina. A celebração contou ainda com corte do bolo, visita ao espaço e outras atrações. “A única mina de carvão aberta a visitação da América Latina está aqui, em Criciúma, e isso é motivo de orgulho para nossa cidade. Celebrar, hoje, esses 10 anos é um marco para o história e o turismo do município”, comemorou o prefeito Clésio Salvaro.
 
A Mina de Visitação Octávio Fontana conta a história da cidade. A Criciúma que foi erguida pelo carvão mineral e se tornou referência no segmento em todo o país já no século passado. Hoje, apesar de não ser mais a principal atividade econômica do município, a história ressurgiu, agora no turismo, com a abertura da atração, no dia 28 de outubro de 2011.
 
Da extração de carvão ao turismo
 
A antiga Mina São Simão encerrou suas atividades em meados dos anos 90. Após pesquisas, foi concluído que o local seria o ideal para receber a nova mina de visitação do município. Administrada em parceria com a SATC, o ponto turístico conta com profissionais qualificados por ter na instituição de ensino o curso técnico em mineração.
 
Única mina de carvão aberta à visitação na América Latina, hoje o ambiente se tornou o ponto de encontro para conhecer mais sobre a exploração do carvão mineral, sua história e importância regional. E os dados mostram que o local é realmente um espaço importante no turismo de Criciúma. A mina integra o inventário realizado pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), e em 2019, ficou na 19ª posição do local mais visitado pelos turistas em Santa Catarina. Um espaço que projeta, portanto, Criciúma no turismo catarinense.
 
“De carvão foi teu berço, de progresso é teu porvir. Um trecho do hino do município que diz tanto sobre a nossa cidade, e que traduz o que estamos celebrando hoje aqui. É Criciúma se destacando, com o carvão e o turismo, no cenário nacional”, completou o prefeito.
 
Noite de homenagens
 
O evento em comemoração aos 10 anos da Mina de Visitação contou com homenagens à pessoas que marcaram a história do espaço. A família Fontana, que dá nome ao ponto turístico, além de trabalhadores que atuaram no local foram lembrados.
 
Outra homenagem que foi carregada de emoção foi dedicada a um ex funcionário. Arlei Cardoso, que também foi mineiro na antiga mina São Simão, atuou como maquinista da Mina de Visitação Octávio Fontana durante toda a década. Ele faleceu há dois meses por problemas cardíacos, e hoje, foi homenageado, dando nome ao trem que circula nos trilhos da mina. “O pai era um apaixonado pela mineração e foi trabalhando aqui que ele formou toda a nossa família. Ele costumava dizer que só a morte o afastaria da mina, e hoje, eternizando o nome dele aqui, vemos que nem a morte vai fazer isso. Ele vai estar pra sempre aqui, e isso nos emociona muito”, destacou o filho, Filipe Cardoso.
 
O carvão e a história eternizados em um livro
 
A história da extração do carvão e das minas em nossa cidade, se mistura com a história de Criciúma. E conhecer a história proporciona o resgate e a preservação da cultura daqueles que contribuíram para o que se tem hoje, sendo ainda uma oportunidade para compreender até, a própria identidade.
 
Com isso, durante a comemoração dos 10 anos da Mina de Visitação Octávio Fontana, foi realizado o lançamento de uma publicação muito importante para os registros da história da cidade carbonífera: o livro “Criciúma, um breve relato de seus 140 anos”. O livro foi escrito pela jornalista Joice Quadros, com o apoio da Secretaria de Educação de Criciúma e também foi entregue aos homenageados.
 
Como conhecer a Mina de Visitação 
 
A visita na mina é acompanhada por um guia, que explana a história da extração do carvão e curiosidades sobre a mina. O passeio tem 300 metros, pode ser realizado a pé, ou em uma mini locomotiva, modelo réplica de 1922, com capacidade para dez passageiros por viagem. O ponto turístico fica localizado na rua Quintino Dal Pont, no bairro Arquimedes Naspolini.
 
O horário de atendimento é das 14h até às 17h30 na terça-feira. De quarta a domingo, das 9h às 11h30 e das 13h até 17h30. Agendamento do horário de visita é por meio do telefone (48) 3445-8734. 

Comente com o Facebook