Crítica à emancipação feminina e recuperação de R$ 34 mi destacam sessão


Ganharam destaque na sessão de terça-feira (26) da Assembleia Legislativa as críticas ao ensino da emancipação feminina nas escolas e o anúncio de que R$ 34 mi – R$ 1 mi a mais do que os R$ 33 mi originais – relativos à compra fraudulenta dos respiradores foram recuperados.

“O governador sancionou a lei que escancara pautas feministas dentro das escolas estaduais. As peludas, maconheiras e abortistas vão pautar o conteúdo”, declarou Jessé Lopes (PSL), aludindo à lei patrocinada pela Bancada Feminina que inclui no currículo histórias de mulheres catarinenses.

Segundo Jessé, a lei pretende promover o conhecimento da história das mulheres contribuírem para a emancipação de outras mulheres.

“Vão contratar uma ONG de emancipação feminista e resistência racista”, previu o parlamentar, que defendeu revogar o diploma legal. “Desenhando para os colegas quem sabe a gente consegue revogar”, ironizou.

Paulinha (sem partido) defendeu a lei sancionada.

“Lamento muitíssimo, chego à conclusão de que meu colega deve ser desprovido de intelecto, como ele cria uma interpretação de que vamos advogar pelo aborto nas escolas?”, perguntou a parlamentar.

Por outro lado, Paulinha anunciou a recuperação dos R$ 33 mi destinados ao pagamento da compra fraudulenta dos respiradores chineses, ainda no início da pandemia.

“Têm R$ 34 mi em valores bloqueados e mais R$ 10 mi em avançada fase de cobrança judicial”, noticiou Paulinha, acrescentando que o aumento nos valores recuperados decorre do pagamento de danos morais aos que foram acusados injustamente.

“A recuperação sela o fim de uma história que fez com que toda Santa Catarina sangrasse no momento muito difícil, que foi a Covid. Onde estão os R$ 33 mi? Estão nas contas públicas do estado aguardando o desembaraço para retornarem ao povo catarinense”, respondeu Paulinha, que destacou a integridade do governador Moisés.

Sargento Lima (PL), que presidiu a CPI dos Respiradores, ponderou que os recursos estão sob júdice.

“Esses R$ 34 mi, posso falar com bastante responsabilidade, eles não se encontram à disposição do governo, estão judicializados. O dinheiro corre o risco de ser devolvido aos donos”, avaliou Lima, que sugeriu construir uma cadeia com o valor recuperado.

Discriminação no trabalho
Adrianinho (PT) lamentou a discriminação no mercado de trabalho e repercutiu o caso de rede de farmácias que opera no Rio Grande do Sul que discriminava as pessoas na hora de contratar.

“Contrata bonito, feio ou bonito vai pagar o mesmo preço”, repetiu Adrianinho, referindo-se à fala de uma coordenadora da rede de farmácias, que orientava não contratar pessoas tatuadas e com piercing e pedia atenção à orientação sexual e à cor da pele dos candidatos.

Sistema antigranizo
Paulinha defendeu a estadualização do sistema antigranizo atualmente implantado na região do Vale do Rio do Peixe.

“Vamos ter redução significativa também no amparo da Defesa Civil, quando o granizo chega. É um programa que vale a pena”, analisou Paulina, explicando em seguida que o programa beneficia milhares de agricultores.

Prisões arbitrárias
Kennedy Nunes (PTB) criticou a prisão do presidente e do vice-presidente da Associação Brasileira dos Aviadores da Segurança Pública (Abrav), ambos militares, pela concessão de uma entrevista e por uma curtida de publicação, respectivamente.

“O governo do estado começou a prender também”, reagiu Kennedy, que lamentou a criação de um comitê para monitorar integrantes do governo e das forças militares nas redes sociais.

Kennedy cobrou do Comando do Corpo de Bombeiros os resultados da investigação de denúncia que fez na tribuna sobre o uso de farda militar por civis.

Arrancando placas
Kennedy acusou o Deinfra de arrancar placas de identificação de comércios e de pousadas às margens da SC-390, no território do município de Lauro Muller.

“Foram lá tirar as placas de identificação dos comércios e pousadas; foram lá e arrancaram, simplesmente arrancaram e foram embora, roubaram, porque nenhuma placa foi feita de graça. Alegaram problemas de segurança e trafegabilidade”, deplorou Kennedy.

Hugo Carvajal
Sargento Lima repercutiu a notícia da iminente deportação do general venezuelano Hugo Carvajal, que se encontra na Espanha, para os EUA, onde será ouvido sobre negócios da cúpula chavista na Venezuela e fora dela.

“O General Carvajal, membro da inteligência chavista, detalhou todas as ações nos últimos 15 anos no que diz respeito ao financiamento de campanhas na América Latina, o projeto chamado Pátria Grande”, relatou Lima, que relacionou os líderes Nicolás Maduro, Hugo Chávez, Evo Morales, Nestor Kirchner e Luiz Inácio Lula da Silva entre os beneficiários do dinheiro chavista.

Spinraza para AME tipo 3
Neodi Saretta (PT) defendeu que a Secretaria de Estado da Saúde (SES) forneça o medicamento de alto custo Spinraza para crianças e adolescentes acometidos pela Atrofia Muscular Espinhal (AME) tipo 3, uma vez que atualmente o medicamento é fornecido apenas para os que apresentam o tipo 1 e o tipo 2 da doença degenerativa.

Vacinação
Saretta, que é presidente da Comissão de Saúde, voltou a pedir aos catarinenses que busquem a vacina contra a Covid nos postos de vacinação. O deputado lamentou “as brincadeiras, desvarios e fake news” relativas às vacinas.

“É importante que se combata as fake news, não tem chip, não causa Aids. Vamos vencer, mas é preciso ainda um esforço, temos um número grande de pessoas morrendo, de pessoas não vacinadas”, alertou.

EEB Vidal Ramos
Saretta pediu à Secretaria de Estado da Educação (SED) que execute melhorias na EEB Vidal Ramos, de Concórdia, uma vez que há problemas na cobertura, calhas e na quadra de esportes do educandário.

Comente com o Facebook