Educação de Florianópolis explora o mundo real em lives


Já pensou fazer uma aula ao vivo desbravando uma trilha? Explorando um costão rochoso, navegando em um barco, visitando o centro histórico de uma lendária cidade? Conhecendo as fortalezas de ilhas? Caminhando em um mangue, subindo os pontos mais altos e encantadores do sul do Brasil? Isso é possível. Todos esses locais e seus conteúdos e contextos são apresentados nas aulas do “Mundo Real” da Secretaria de Educação de Florianópolis, sempre às sextas feiras pela manhã.

Uma equipe de professores faz essas transmissões em lives toda semana visitando ilhas, bairros históricos, praças e monumentos. O internauta pode acompanhar pelo Portal Educacional da Prefeitura: http://www.pmf.sc.gov.br/portaleducacional/

De acordo com o secretário de Educação, professor Maurício Fernandes Pereira, um dos grandes diferenciais deste projeto é a interdisciplinaridade.  “Entendemos que na vida tudo está interligado e funciona de forma natural e dinâmica. A aulas do mundo real procuram explorar locais de Florianópolis que muitos dos nossos moradores não conhecem ou nunca pensaram em ir a tal local, bem como, nossos convidados são escolhidos por terem relação direta com aquela comunidade e contexto educacional”.

O secretário complementa que: “queremos despertar o protagonismo e a autoconfiança do estudante e equipes pedagógicas”.

O professor Charles Schnorr, que participa de todas as aulas do mundo real, destaca que em quase dois anos de lives foram explorados mais de 5 ilhas, fortalezas, costões, morros, trilhas, cachoeiras, mangues, prédios e bairros históricos, 30 praias e balneários, diversos caminhos no norte, sul, leste, região central, parques, praças e monumentos.

Pensando na inclusão

Toda aula é interpretada em Libras ao vivo pelas professoras Muyara dos Santos e Thatyana dos Santos que também estão no local para dar ainda mais vida e valor aos princípios inclusivos nesta ação pedagógica e interativa, o que faz com que a comunidade surda participe de forma ativa, não apenas coadjuvante, mas in loco deste projeto.

Toda ação também é descrita oralmente para que os cegos consigam constatar e perceber as imagens e personagens das lives do mundo real. Remotamente temos o relevante apoio e estrutura digital da professora Lisandra Invernizzi e Luis Ribeiro Francelino que fazem a mediação com educadores, crianças e demais internautas.

Para os experientes professores Joaquim Gonçalves  e Rosângela Teixeira Garcia  da Escola do Mar, as lives podem ser transformadas em conteúdo interativo de diversas áreas do conhecimento, com a meta  de ajudar os professores a criarem novas abordagens interligando conteúdos disciplinares (Ciências, Educação Física, Matemática, Português, Geografia, Libras, História…) e dando aspectos práticos e funcionais a este tema para serem usados a qualquer momento, por qualquer profissional da educação, de qualquer lugar do mundo, pois os conteúdos ficam à disposição no portal educacional da PMF.

Os locais, convidados e conteúdos são escolhidos de forma interativa com as unidades de ensino, seus gestores e necessidades temporais e campanhas de cada momento do mês ou data alusiva.

Os temas mais explorados são as dicas de prevenção, primeiros socorros, preservação do ambiente, sustentabilidade, apresentação e discussões sobre o momento atual e os protocolos de saúde e educação, história da cultura de Florianópolis, SC e do Brasil.

No ano de 2020, o secretário de Educação Maurício Fernandes Pereira e equipe estiveram nas praias da Daniela, Armação, Matadeiro, Joaquina, Brava, Barra da Lagoa, São José da Ponta Grossa e Pântano do Sul. Houve lives na trilha do Santinho, na Lagoa do Jacaré, e em ilhas, como: do Guará, de Ratones e Fortaleza de Anhatomirim.

Muitos desafios foram realizados para algumas transmissões em particular, como nas cavernas naturais do Pântano do Sul, onde passamos por costões e precisamos monitorar a maré para uma melhor qualidade de imagens e conteúdos. Na região de mangues da Daniela e Santinho, nas dunas da Joaquina, na visita em algumas cachoeiras, na trilha de Naufragados e ilhas vizinhas. Tudo isso com muito entusiasmo e motivação por parte de toda equipe.

Os momentos em terra foram diversos, com a utilização da beleza de lugares como Morro da Cruz, Morro do lampião, Sambaqui, Ribeirão da Ilha, Praça XV, Itaguaçu e Costa da Lagoa.

No ano de 2021, até setembro, as lives ocorreram mais em terras, como: Jardim Botânico, Córrego Grande, Trapiche do João Paulo, Tapera, Fortaleza da Barra, Praça Getúlio Vargas, Santo Antônio de Lisboa, mas também em praias como Barra da Lagoa, Canasvieiras, Ingleses e Naufragados. Passou pela Ilha de Araçatuba, e caminhou por diversas trilhas: de Gravatá, dos Ingleses e da Boa Vista.

galeria de imagens


Comente com o Facebook