Prefeitura restaura pintura mural encontrada no Casarão Bento Silvério


A Prefeitura de Florianópolis executa através da Secretaria de Infraestrutura o primeiro restauro artístico de pintura mural de quase 110 anos do Casarão Bento Silvério, no Centrinho da Lagoa da Conceição. As obras fazem parte da reforma geral da edificação da antiga estação radiotelegráfica construída em 1912 com traços da arquitetura do período pós-revolução industrial, tombada como Patrimônio Histórico e Artístico do Município em 1985. 

A pintura mural cuja técnica usada foi a têmpera a cal está no barrado superior (rodaforro), de duas salas que, no passado, devem ter tido certa importância – pois nos demais ambientes do imóvel foram feitas prospecções, mas não há registros de arte do tipo. 

O restauro especializado é feito pelas mãos da arquiteta Márcia Regina Escorteganha que, em sua formação, tem Doutorado em Técnica de Restauração de Pintura Mural pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Com 25 anos de experiência na área, ela é coordenadora do Comitê de Arte Mural do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (ICOMOS Brasil), uma associação civil não-governamental ligada à ONU, através da Unesco. 

Márcia conta que ao iniciar os serviços encontrou a pintura mural coberta por uma intervenção indevida de camada de cal misturada com cimento branco, que escondia a arte original. “Mas depois de retirar essa intervenção e hidratar a superfície da parede foi possível ver os traços da pintura dos barrados, e assim, apareceu o fantasminha”, brinca ela, referindo-se carinhosamente ao resquício da pigmentação original da arte do início do século XX cujo autor acredita ser de origem italiana. 

“É uma identidade da pintura dessa época o uso de certos pigmentos de origem estrangeira e, devido aos tons utilizados, supõe-se que sejam artistas com traços das pinturas italianas. No início do século passado a técnica do estêncil se proliferou nos casarões das famílias mais abastadas da Ilha”, relata a conservadora e restauradora.

A etapa seguinte foi refazer o estêncil de época, sendo que, para Márcia, provavelmente o molde dessa pintura mural foi feito especialmente para ser usado na então estação radiotelegráfica. Lembrando que o estêncil é uma técnica de reprodução de pintura que usa lâminas de acetato com o molde vazado do desenho original, sobre o qual é aplicado fina mão de tinta. 

E, no momento, vem sendo aplicada uma aguada de têmpera importada holandesa e italiana. No caso, as cores usadas para compor o arabesco popularmente conhecido como “árvore da vida invertido” a que corresponde à pintura mural encontrada são verde, vermelho rosado e marrom claro. Segundo a especialista, as imagens vermelho rosada representam flores de cerejeira, e as de cor marrom claro, são uma estilização de um conjunto de três crisântemos.

Após o término da reforma do Casarão Bento Silvério, quem visitar o lugar, além de encontrar essa arte histórica restaurada, vai vê-la valorizada por iluminação LED especial para rodaforro. 

Obras em geral

A reforma geral do Casarão Bento Silvério é executada pela Planalto Engenharia LTDA EPP e deve ser concluída em novembro. Implica na restauração da estrutura do prédio em si, ou seja, de toda a alvenaria, tomando o cuidado, por exemplo, de remover o reboco mal aderido e substituí-lo por novo de mesma qualidade do original, bem como de restaurar as pinturas artísticas do rodateto; da cobertura, com a substituição de partes do forro e da estrutura do telhado, ambos de madeira, e trocas de todas as ripas e telhas, e das esquadrias de madeira e do piso de ladrilho hidráulico, que terá restauro e recomposição.

Além de novas instalações elétricas (cabeamento, iluminação, tomadas e interruptores) e hidrossanitárias, inclusive, com acessibilidade de banheiros – as quais encontram-se em execução, assim como o restauro das esquadrias de madeira. Sendo que também estão previstas instalações preventivas contra incêndio e de climatização central.

Até o momento, a Prefeitura já finalizou o restauro do madeiramento e telhas da cobertura, do assoalho de madeira e das esquadrias; os serviços de reboco, e a parte de cabeamento elétrico. Em andamento, além do restauro da pintura mural, acontece a pavimentação em piso cimentado interno e em ladrilhos hidráulicos (os originais precisaram ser trocados devido à deterioração, e foram fabricadas réplicas); a pintura interna, a drenagem externa, e a instalação de climatização.

Utilização do espaço

O Casarão Bento Silvério e a Casa das Máquinas, que fica ao lado, compreendem o Centro Cultural Bento Silvério, sede da Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes. “As obras levam em consideração a necessidade de resguardar a tipologia arquitetônica do Casarão, mas também oferecer um espaço mais seguro e confortável a quem for usufruí-lo, inclusive aos finais de semana”, destaca o secretário de Infraestrutura, Valter Gallina. 
Afinal, tal como ocorria anteriormente às obras, o espaço vai servir para a realização de eventos culturais, sejam eles apresentações de grupos de Boi-de-Mamão, Terno de Reis, Ratoeira, Cantoria do Divino e Pau-de-Fita, típicas da cultura local; exposições, oficinas, cursos e afins, e atividades sociais como reuniões de moradores e encontros de artesãos, sobretudo, as tradicionais rendeiras, da Lagoa da Conceição. E ainda disponibilizar ao público salas permanentes como a biblioteca.

De acordo com o Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (Ipuf), o Casarão Bento Silvério, com área total de 226 metros quadrados, foi construído pelo antigo Departamento de Correios e Telégrafos e teve como função inicial dar suporte à navegação costeira e transatlântica, em decorrência de acordos internacionais de que o Brasil participava, à época. Já conforme a Fundação Franklin Cascaes, Bento Silvério (1951-1987), natural do então Distrito da Lagoa da Conceição, foi um respeitável repórter político catarinense, que também se destacou por ser contista.

galeria de imagens


Comente com o Facebook