Chapecó recebe cestas básicas do Programa Agro Fraterno


O Agro Fraterno – programa nacional que visa arrecadar alimentos para doação às famílias do meio rural afetadas pela pandemia – entregou na manhã desta segunda-feira (9) 353 cestas básicas, de 18 kg cada, ao Poder Público Municipal de Chapecó. Em Santa Catarina, a iniciativa é do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR/SC), órgão vinculado à Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC), em parceria com as entidades e organizações que fazem parte do Fórum Permanente do Agro Catarinense.

Chapecó foi o primeiro município do oeste a receber as doações que foram entregues no Restaurante Bandejão. Em breve, a cidade receberá a segunda parte das doações, totalizando 706 unidades que somam R$ 162.860,08 em investimentos. As cestas básicas foram recebidas pela secretária de Assistência Social (SEASC) Elisiani Sanches, pelo supervisor regional do SENAR/SC Helder Jorge Barbosa, pelo presidente e vice-presidente do Sindicato Rural de Chapecó Luiz Carlos Travi e Ricardo Lunardi, pela diretora administrativa da SEASC Sônia Lohmann, pela gerente de Proteção Básica Daiane Chaves e pela gerente de Políticas Públicas da secretaria, Eliane Saugo.

Para Elisiani Sanches, as doações do Programa Agro Fraterno serão fundamentais para garantir a segurança alimentar das famílias rurais. “Vejo como um recurso muito bem utilizado e a nossa preocupação é levar para quem realmente está precisando. As cestas são muito bem-vindas! Agradecemos imensamente essa iniciativa louvável que precisa se expandir, cada vez mais, porque as famílias economicamente carentes da área rural precisam garantir segurança alimentar por meio dessa e de outras ações que podemos realizar em conjunto”.

O presidente do Sistema FAESC/SENAR-SC, José Zeferino Pedrozo, destaca que no Estado foram contemplados 10 municípios que receberão 10 mil cestas básicas mediante investimentos de 1 milhão e 100 mil reais. “Santa Catarina possui uma economia forte, mas temos também um problema, que não pode ser deixado de lado. Segundo dados da Epagri, Santa Catarina possui mais de 17 mil famílias que do meio rural abaixo da linha da pobreza. É momento de abraçamos essa causa e ajudar quem precisa de apoio nesse momento”.

Pedrozo enfatiza, ainda, que a iniciativa é fundamental para auxiliar na qualidade de vida dessas pessoas. “Muitos trabalhadores rurais ficaram sem emprego nesse período de pandemia e suas famílias sofrem com a falta de itens básicos, como alimentação. O agronegócio não parou de crescer e isso nos motiva a unir forçar para ajudar a levar alimentação para a mesa de quem passa por dificuldades”.

O Sistema FAESC/SENAR-SC aderiu ao movimento nacional juntamente com as demais entidades e órgãos que compõem o Fórum Permanente do Agro Catarinense: Organização das Cooperativas (Ocesc), Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetaesc), Federação das Cooperativas Agropecuárias (Fecoagro), Sindicato da Indústria de Carnes e Derivados (Sindicarne), Associação Catarinense de Avicultura (ACAV) e Secretaria de Estado da Agricultura da Pesca e do Desenvolvimento Rural. A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social deverá apoiar com a logística de entrega e seleção dos beneficiários.

LANÇAMENTO

O Programa Agro Fraterno será lançado oficialmente na próxima segunda-feira (16), durante ato que reunirá lideranças locais e do Estado, às 9 horas, no auditório da Prefeitura de Chapecó.

O movimento foi criado neste ano pela Confederação Nacional da Agricultura (CNA), juntamente com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e as entidades do Instituto Pensar Agro (IPA).

Comente com o Facebook