Bombeiros resgatam, sem vida, mais uma vítima de desabamento no Rio

Os bombeiros encontraram, sem vida, o homem de 30 anos, que estavam tentando resgatar no desabamento do prédio em que morava na comunidade de Rio das Pedras, na zona oeste do Rio. Antes dele, tinha sido localizado o corpo da filha de 2 ou 3 anos, que foi levado para o Instituto Médico-Legal, na zona norte da cidade. A mãe da menina, Kiara Abreu, de 28 anos, foi resgatada com vida e transferida, de helicóptero, até o heliporto da Lagoa, na zona sul, de onde foi de ambulância para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, também na zona sul. Kiara passa por avaliação e exames.Notícias de Balneário Camboriú - SC HOJE NewsNotícias de Balneário Camboriú - SC HOJE News

Foi Kiara quem informou aos bombeiros, ainda no início das buscas, que o marido Natan e a filha estavam também no local. O corpo dele já foi retirado dos escombros e será levado para o Instituto Médico-Legal.

Antes do resgate de Kiara, mais  três vítimas foram levadas para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca. Os bombeiros informaram que foram identificadas como Nataniela Gomes, de 27 anos;, Antônia Mariana de Souza, de 35, e Jonas de Souza, de 29 anos. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), duas já tiveram alta.

Bombeiros

Agora, os bombeiros fazem os trabalhos de rescaldo no local do desabamento. Desde o início da operação, o Corpo de Bombeiros mandou para o local integrantes dos quartéis de Jacarepaguá, do Alto da Boa Vista, da Barra da Tijuca, do Grupamento Aéreo e do Humaitá, que deu apoio ao transporte da Kiara para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, após ser resgatada com vida dos escombros. Também foram para o local integrantes do Centro de Suprimento e Manutenção e do Grupamento Técnico de São Cristóvão.

Nos escombros estão atuando bombeiros do Grupamento de Busca e Salvamento, especializados em resgates e desabamentos. Eles contam com o apoio de cães farejadores do Grupamento de Cães de Magé, treinados para localizar vítimas desses tipos de tragédias.

Comente com o Facebook