Integração das forças de segurança reforça monitoramento nas escolas


A segurança nas Escolas, que já havia sido ampliada pela Administração Municipal de Chapecó, com a criação da Patrulha Escolar, recebeu nesta semana o reforço da Operação Escola Segura, projeto desenvolvido pela 4ª Região de Polícia Militar de Fronteira. Enquanto a Patrulha Escolar é focada nas escolas da rede municipal de Chapecó, a iniciativa da Polícia Militar abrange as escolas de 54 municípios do Oeste.

Para oficializar a primeira ação em Chapecó, o Centro de Educação Infantil Municipal Pequeno Príncipe recebeu nesta segunda-feira a visita dos policiais para a orientação e vistoria. A ação visa intensificar as rondas e a aproximação da Polícia Militar com a comunidade escolar, promovendo conforto, segurança a todos.

Na ocasião das visitas in loco, as Instituições Educativas recebem toda orientação necessária do ponto de vista da segurança, seja dentro do espaço escolar ou de seu entorno que é todo vistoriado pelos Policiais Militares devidamente identificados.

O diretor de Segurança Pública de Chapecó, Clóvis Ari Leuze, aponta estas parcerias entre Secretaria de Educação, Polícia Militar e Guarda Municipal, elevam e valorizam muito o serviço público.

“Todos ganham com essa integração. Desde que voltaram as aulas presenciais nas escolas, já iniciamos com as rondas escolares, e neste momento estamos realocando alguns vigias para as unidades educativas. Nossos filhos são nossos tesouros e não podemos permitir em nenhum momento que eles fiquem sujeitos a ações externas ou internas à instituição que possam oferecer algum risco”.

A Patrulha Escolar conta com veículo e equipe específica, que faz cinco a seis rondas diária no entorno das unidades educativas, nos horários de entrada e saída, nos intervalos e também visitando os espaços públicos para compreender as demandas.

O tenente-coronel Evandro Vieira, chefe operacional da 4ª RPM/Fronteira, disse que a ideia da Escola Segura é averiguar possíveis deficiências que possam ter na estrutura física e até mesmo, dependendo da situação, encaminhar policiamento ostensivo no entorno da Instituição, sempre pensando no aspecto preventivo.

“É uma demanda de segurança pública que já vem sendo pensada há tempo e agora estamos implantando, no intuito de fazer abordagem multidisciplinar com ações preventivas e, se necessário, repressivas em todos os estabelecimentos de ensino”

Para a gestora escolar Marília Bernardi, todos os projetos que venham contribuir para segurança das crianças e consequentemente na aprendizagem são muito bem-vindos.

Zenaide da Silva Diogo mãe da aluna Aline Diogo Soares, de 06 anos, disse que fica mais tranquila com as ações tomadas.

“Sou moradora de Chapecó há pouco tempo e já percebo muita diferença no que diz respeito à Educação e segurança nas Escolas, de forma que podemos deixar os filhos aqui e ir trabalhar na certeza de que estão bem seguros e se construindo enquanto cidadãos”.

Leoveraldo Bosco, pai do aluno Gustavo Bosco, de 05 anos, também apoia a iniciativa.

“Tudo que for agregar a segurança das crianças e dos professores é sempre bem-vindo. E projetos como este dentro da Escola mostram paras crianças o quanto o policial é bom e amigo”, finalizou.

Comente com o Facebook