- PUBLICIDADE GOOGLE-

Governo do Estado reforça tratamento da Esclerose Múltipla no Hospital Celso Ramos

Desde que abriu as portas, em junho de 2023, o Ambulatório de Esclerose Múltipla do Hospital Governador Celso Ramos (HGCR), de Florianópolis, unidade própria do Governo do Estado, já registrou 130 atendimentos. O serviço se tornou um ponto de apoio fundamental, em meio aos desafios de uma doença debilitante, reforçando os cuidados especializados aos que enfrentam a esclerose múltipla, em busca por uma melhor qualidade de vida pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A implantação do Ambulatório de Esclerose Múltipla no Hospital Celso Ramos é uma das ações da Linha de Cuidado para Pacientes com Doenças Raras, que foi ampliada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), no início de 2023. A linha de cuidado possui atuação nos 295 municípios de Santa Catarina.

Continua após o anúncio

“A esclerose múltipla é uma doença desmielinizante, autoimune crônica, provocada por mecanismos inflamatórios e degenerativos. Existe uma predisposição genética já conhecida, ou seja, um gene associado à doença, que normalmente se associa a fatores ambientais que funcionam como gatilho. Dentre esses fatores ambientais, a infecção pelo vírus epstein barr é o mais conhecido, associado à deficiência de vitamina D. Os principais sintomas da doença são baixa acuidade visual, com dor atrás do olho, visão dupla, dormência, formigamento, incoordenação, incontinência ou retenção urinária, fraqueza dos membros que pode ser só dos membros inferiores ou do lado do corpo, dificuldades para caminhar. Então, existem vários sintomas que, dependendo da forma que eles se manifestam e do tempo de duração, eles podem caracterizar o que a gente chama de um surto, que é a principal forma de apresentação da doença”, explica a chefe do Serviço de Neurologia do hospital, Dra. Gladys Lentz Martin.

A falta de compreensão sobre a causa exata da esclerose múltipla torna o tratamento complexo, reforçando a importância da disponibilidade de recursos terapêuticos. Neste sentido, o HGCR tem atendido a essa demanda, oferecendo acolhimento tanto para pacientes residentes em Florianópolis quanto para os de outros municípios do estado. Para realizar as consultas, é necessário solicitar o agendamento por meio das Unidades Básicas de Saúde.

Continua após o anuncio

A Dra Gladys reforça que os sintomas podem regredir completa ou parcialmente, dependendo também do tipo de doença que a pessoa apresenta, com o tratamento adequado. “É importante procurar ajuda. Existem exames específicos que ajudam no diagnóstico e fazer esse diagnóstico também é importante, porque a doença tem várias opções de tratamento que ajudam a diminuir os sintomas, principalmente os de fase aguda, e evitar que a doença progrida”.

Acesso aos medicamentos

Continua após o anúncio

Um dos aspectos importantes no enfrentamento da Esclerose Múltipla está no acesso às terapias. Conforme a Dra. Gladys Lentz Martins, há uma gama de opções disponíveis. “Existem vários medicamentos para o controle da doença, que são indicados de acordo com a gravidade do caso. São fármacos de alto custo fornecidos pelo SUS, mediante prescrição do neurologista”, esclarece.

As medicações padronizadas pelo SUS para o tratamento são adquiridas pelo Ministério da Saúde (MS) e distribuídas aos municípios pela SES.

Os pacientes devem realizar a solicitação nas farmácias municipais que atendem o Componente Especializado da Assistência Farmacêutica e que estão presentes em todos os 295 municípios catarinenses. A lista com telefone e o endereço delas você encontra aqui.

As solicitações são cadastradas pelos municípios e avaliadas pela Diretoria de Assistência Farmacêutica da SES. As requisições são aprovadas de acordo com o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas publicadas pelo MS.

Mais informações para a imprensa:
Silvestre Aguiar
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde
(48) 99134-4078
[email protected]

Fonte: Governo SC

Continua depois do anúncio: FP

- CONTEÚDO PROMOVIDO -

Veja Mais