- PUBLICIDADE GOOGLE-

Fabiano comemora retirada de 13 milhões de brasileiros do Mapa da Fome

Notícias de Santa Catarina - SC HOJE News

Deputado Fabiano da Luz
FOTO: Bruno Collaço / AGÊNCIA AL

Continua após o anúncio

O deputado Fabiano da Luz (PT) destacou nesta terça-feira (12), no Plenário da Assembleia Legislativa, que 13 milhões de brasileiros deixaram de enfrentar a condição de fome em 2023, enquanto outros 20 milhões foram liberados da situação de insegurança alimentar moderada.

“Esses números representam uma queda de 30% na insegurança alimentar total, considerando as categorias grave e moderada, em comparação com períodos anteriores”, ressaltou.

Continua após o anuncio

O levantamento foi feito pelo Instituto Fome Zero, a partir do cruzamento de dados da Pesquisa de Orçamento Familiar e da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD contínua), ambas do IBGE.

Fabiano lembrou que quando o presidente Lula voltou a governar o país no ano passado encontrou o Brasil mergulhado novamente no Mapa da Fome, “condição vergonhosa que havia deixado em 2014, mas que voltou em 2022, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU)”.

Continua após o anúncio

Em 2022, a rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Penssan) divulgou um diagnóstico dos brasileiros em situação de insegurança alimentar. Naquele ano, o país bateu a marca de 33 milhões de brasileiros que não tinham o que comer por um dia ou mais.

“O nosso presidente Lula estabeleceu a meta de tirar o país do Mapa da Fome até 2030 e reduzi-la a menos de 5%, percentual que nos coloca como um país “livre” da fome.”

Segundo o deputado, para isso o governo federal lançou o programa Brasil Sem Fome que reúne 80 ações e mobiliza a União, estados e municípios.

“O fato é que estas ações e mais um monte de indicadores positivos da economia já revelam que o governo Lula está no caminho certo. No ano passado, o Brasil saltou duas posições e se tornou a nona economia do mundo.”

Fabiano acrescentou que a redução estimada na quantidade de pessoas que vivem em situação de insegurança alimentar grave no país está relacionada à queda do desemprego e dos preços, especialmente dos alimentos.

O Instituto Fome Zero registrou que, após subir de 20,6% para 32,8% entre 2018 e 2021, no governo anterior, o nível de insegurança alimentar caiu desde então e chegou a 28,9% em 2023.

Juliana Wilke
Assessoria Coletiva | Bancada do PT na Alesc | 48 3221 2824 [email protected]
Twitter: @PTnoparlamento | Facebook: PT no Parlamento

Fonte: Agência ALESC – Gabinetes

Continua depois do anúncio: FP

- CONTEÚDO PROMOVIDO -

Veja Mais