Continua após a Publicidade

Notícias de Santa Catarina - SC HOJE News

Além de todos os seus equipamentos de imersão ao universo, uma vasta coleção de meteoritos em exposição também vem fascinando e ganhando a atenção dos visitantes que passam pela estrutura do novo Parque Astronômico Municipal Albert Einstein E=mc². O responsável por todo acervo é o colecionador e geólogo do município, Maurício Fenilli de Menezes, que devido ao seu interesse e admiração pelas cores e formas das rochas e cristais desde criança, atualmente, é responsável pela maior coleção do Estado de Santa Catarina com mais de 2 mil exemplares de minerais, contendo meteoritos e também rochas terrestres e fósseis.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

O geólogo iniciou a sua coleção ainda durante a pré-escola, sendo uma das razões que o motivaram a escolher o curso de Geologia futuramente em sua graduação. “Desde criança eu já sabia que seguiria na área das Ciências Naturais, principalmente, devido aos meus pais e avós que me davam suporte e apoio para seguir na área científica. Então, a medida que os exemplares aumentavam, meu fascínio e desejo em seguir essa área também aumentava gradativamente”, conta Fenilli.

Os exemplares foram adquiridos por meio de trocas e compras, inclusive internacionais, com colecionadores da Europa e do norte da África. A coleção conta com exposições de meteoritos metálicos, rochosos, férreo-pétreos, incluindo os raros meteoritos lunar e marciano. Além das rochas terrestres dos tipos magmáticas, metamórficas, sedimentares e minerais cristalizados e fósseis. Os exemplares estão disponíveis na Central de Informação do parque.

Dentre os vários objetivos do Parque Astronômico, um deles é, mais do que ensinar, fascinar as pessoas. Desse modo, como todos os elementos do parque a coleção consegue concluir esse objetivo, aproximando todos os visitantes de um maior contexto científico. Como resultado, as pessoas conseguem perceber que a ciência é algo tangível, curiosa e digna de grande fascínio”, completa o geólogo.

Reconhecimento e visibilidade profissional

Devido à quantidade de exemplares em sua coleção, o geólogo ganhou reconhecimento no livro ‘Coleções Minerais do Brasil’, como um dos principais colecionadores do país. “Ganhar uma menção dos autores nesse importante livro foi um momento de felicidade e reconhecimento. Basicamente, pela visibilidade que me proporcionou em meio a tantos colecionadores de outros locais do Brasil. Sendo assim, posso dizer que foi uma conquista tanto como colecionador quanto em minha carreira profissional como geólogo”, ressalta.

Em termos de destaque em todos os exemplares presentes em sua coleção, Fenilli comenta que os principais são: o ferro-pétreo que é utilizado para entender a evolução dos planetas, o Dente de Megalodon, do norte da África, as rochas ametamórficas com 3,8 bilhões de anos e o carvão mineral. “O carvão merece grande destaque nessa coleção porque representa o símbolo econômico e histórico de nossa cidade”, afirma.

O secretário municipal de Educação, Celito Cardoso, lembra que a principal base nos estudos da ciência é a curiosidade, e cada mineral que compõe essa coleção apresenta uma peculiaridade e excentricidades únicas em suas formas e cores, estimulando a curiosidade de cada pessoa que o observa.

O município contar com essa vasta coleção de minerais proporciona momentos únicos para cada um que visita o parque. As pessoas que antes não tinham a oportunidade de ver um meteorito, rocha ou cristal de perto, agora podem ter momentos de estudo mais elaborados visitando o Parque Astronômico de Criciúma. Assim, conhecendo tanto as histórias de cada mineral ali presente quanto todos os seus fundamentos científicos”, enfatiza.

Funcionamento do Parque Astronômico

Para quem deseja conhecer a vasta coleção de meteoritos, participar das sessões do Planetário ou conhecer todos os elementos que compõem o local, o Parque Astronômico de Criciúma está localizado no Morro Cechinel, estando lincada ao novo futuro ponto turístico do município, o Mirante Realdo Santos Guglielmi.

O Parque Astronômico funciona todos os dias das 9h às 21h. As atividades de observação nos telescópios ocorrem de quinta-feira a domingo, das 20h às 21h. Já as sessões guiadas no parque e planetário ocorrem de quinta-feira a domingo às 15h, 17h e 19h. O ingresso para participar das sessões custa R$ 10 por pessoa e pode ser adquirido no local.

Porém, crianças menores de seis anos, idosos e grupos de professores e alunos de escolas públicas municipais, estaduais e de creches não pagam. Já os professores e estudantes de escolas particulares de Criciúma, de escolas públicas e particulares de outros municípios e os universitários que desejam participar das sessões tem direito a meia entrada.

Fonte: Prefeitura de Criciúma

Continua após a Publicidade