Luciane vai fortalecer bandeiras da educação, inclusão social e das mulheres

Continua após a Publicidade

Reeleita para seu quarto mandato, com 92.478 votos nas eleições de outubro deste ano, a deputada Luciane Carminatti (PT), a segunda mais votada no Parlamento, tem como meta fortalecer a valorização da educação e da inclusão social das crianças e adolescentes autistas no estado, além do enfrentamento à violência contra a mulher.  “Temos ainda todo debate do financiamento da assistência social, da cultura e da economia solidária, que são três áreas que avançaram, mas precisamos dar um salto maior.”

A deputada diz que tem a expectativa para o próximo ano de que em função da receita no estado ter aumentado, em média 16%, poderá ocorrer um passo a mais na valorização do magistério. Ela também se manifesta preocupada com a inclusão das crianças e adolescentes autistas no estado, que em sua avaliação tem crescido e demandado um desafio para os parlamentares em legislar sobre o tema, pensando em políticas públicas em favor destes catarinenses.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

Além destes temas, a deputada, que coordenou a implantação do Observatório Estadual da Violência contra Mulher na Alesc, destaca que o enfrentamento à violência contra as mulheres é uma de suas bandeiras. “O Observatório é uma ferramenta importante, mas temos que dar passos a mais no sentido de atuar na prevenção mais do que na punição no estado.” Luciane Carminatti,    coordenadora da Bancada Feminina na Assembleia Legislativa, diz que devido à redução no número de parlamentares mulheres, já estaria discutindo a ideia da construção de um fórum de mulheres. “Como forma de trazer todas as entidades representativas e dialogar de perto com essas entidades, com essas mulheres e fortalecer essas mulheres.”

Luciane Carminatti se diz otimista com o novo governo federal, que “assume com perspectivas mais democráticas, então temos uma expectativa muita positiva de abertura de diálogo em relação ao piso, a carreira do magistério, ao novo ensino médio, que tem muitos problemas, com a expectativa de que a gente possa fazer mais diálogo político, trabalhar com gente com menos ódio no coração e mais amor. É isso que o estado precisa.”

Em relação ao governador eleito, Jorginho Mello (PL), a deputada salienta que sempre falou que uma relação é uma “via de mão dupla. Depende do que vem de lá, virá de cá.” Ela revela que já deu o primeiro passo, como forma de mostrar como é o seu trabalho. “Quando ele se elegeu, liguei desejando sucesso e coloquei o mandato à disposição, mas é claro que nós temos uma pauta, defendemos educação pública e essa será uma das pautas que vou  trabalhar com prioridade. Se o governo atuar na linha de defender políticas de fortalecimento do estado e de quem mais precisa, terá nosso apoio. Se trabalhar na expectativa de atender alguns interesses corporativistas ou de setores que colocam em xeque as políticas públicas da maioria da população, nós vamos reagir.”

Trajetória
Formada em Pedagogia e especialista em Orientação Educacional e na área de Educação Especial, Luciane Carminatti atuou como professora e coordenadora pedagógica em escolas públicas de Chapecó. Coordenou o movimento pró-universidade federal na região Oeste, garantindo a instalação da segunda universidade federal do estado, a Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS). Também coordenou a implantação do curso de medicina nessa universidade e liderou a instalação do campus da Udesc em Chapecó.

Foi vereadora por dois mandatos (2000-2004/2008-2011) e secretária da Educação em Chapecó (2001-2003). Em 2011, com 29.494 votos assumiu o primeiro mandato na Alesc, reeleita em 2014 com 45.248 votos e em 2018 com 61.271 votos.

A atuação dela no parlamento tem se destacado em defesa da educação pública, dos direitos das mulheres e da classe trabalhadora, da cultura, da economia solidária e da assistência social.

Fonte: Agência ALESC

Continua após a Publicidade