Parceria entre SAP e IMA permite a implantação de coletores de lixo eletrônico em Lages e São Miguel do Oeste

Continua após a Publicidade

Uma parceria entre a Secretaria de Administração Prisional e Socioeducativa (SAP), o Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA) e a empresa Emplasul vai permitir a implantação de 86 coletores de resíduos eletrônicos nas regiões dos municípios de Lages e São Miguel do Oeste. Na primeira fase serão instaladas 42 unidades, sendo que 13 irão atender Lages e outros 29 para São Miguel do Oeste.

Na manhã desta segunda-feira, 19, o Secretário da SAP, Edemir Alexandre Camargo Neto, acompanhou o embarque dos primeiros 42 coletores. “Neste momento queremos contribuir com o município, mas temos a intenção de estender esse serviço para os principais complexos prisionais catarinenses”, disse o titular da SAP.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

A ideia é instalar coletores na entrada das unidades para que familiares de internos, advogados, servidores e comunidade do entorno tenham um local adequado para destinar os resíduos. “Além de informar as pessoas sobre a importância do ato, é preciso disponibilizar o espaço adequado. Muitas vezes as pessoas sabem que não podem descartar materiais na natureza, mas acabam fazendo por ter o local adequado em sua comunidade. Gera também oportunidade de inclusão”, observou Edemir Alexandre Camargo Neto.

As ações que estão sendo implantadas por meio da parceria entre os órgãos governamentais e a iniciativa privada atende aos propósitos da logística reversa, conjunto de procedimentos e meios para recolher e dar encaminhamento pós-venda ou pós-consumo ao setor empresarial, para reaproveitamento ou destinação correta de resíduos.

De acordo com o Coordenador do Projeto Penso, Logo Destino (PLD), servidor do IMA, Cícero Brasil, os coletores serão dispostos em pontos estratégicos dos municípios, devidamente sinalizados, para receber os resíduos eletrônicos. “Estes coletores vão receber equipamentos eletrônicos como CPUs, fontes processadores, telefones celulares, aparelhos de CD/DVD, impressoras, scanners, entre outros,” detalhou. Depois disso, os equipamentos serão reciclados. “A centralização destes resíduos, além de proteger o meio ambiente também facilita a sua coleta e destinação correta”, observou. “Já temos nos municípios equipes capacitadas para atender esta demanda”, disse Cícero Brasil destacando que a destinação correta de resíduos sólidos é também uma questão de saúde pública.

O Diretor de Engenharia e Qualidade Ambiental do IMA, Fábio Castagna da Silva, assinalou que o lixo eletrônico tem uma das maiores taxas de crescimento no mundo. “Resíduos potencialmente perigosos descartados de maneira correta são fundamentais para o desenvolvimento sustentabilidade da sociedade. Ações simples que geram grandes resultados”, enfatizou o Fábio Castagna.

Fonte: Governo SC

Continua após a Publicidade