Representantes da vigilância epidemiológica de Blumenau participam do simpósio catarinense de imunização

Continua após a Publicidade

Com o objetivo de apresentar o cenário catarinense das coberturas vacinais, discutir ações e estratégias para o resgate da confiança da população nas vacinas e a manutenção e erradicação de diversas doenças, a Secretaria de Saúde de Santa Catarina realizou, nesta quarta-feira (14), na Assembleia Legislativa, o Simpósio Catarinense de Imunização.

A Secretaria de Promoção da Saúde (Semus), por meio da vigilância epidemiológica de Blumenau, enviou seus representantes para debater o assunto, abordar as implicações legais acerca da hesitação vacinal de crianças e adolescentes, e trazer exemplos bem-sucedidos de ações municipais de vacinação.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

Os dados divulgados pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE) mostram que Santa Catarina sempre foi reconhecida como um dos estados brasileiros com as maiores coberturas vacinais do País, mas que, também vem enfrentando uma redução gradual no número de imunizados.

No caso da vacina contra a poliomielite, por exemplo, o último ano em que o estado alcançou a cobertura vacinal ideal, que é de 95%, foi em 2017 (95,2%). Depois disso, as coberturas caíram para 94,7% em 2018; 93,8% em 2019; 88,3% em 2020; 83,2% em 2021. A situação é parecida com a da vacina Tríplice Viral (VTV), que protege contra o sarampo, a caxumba e a rubéola. O último ano em que a cobertura vacinal foi satisfatória foi em 2019 (96,1%).

Vitor Hugo Spudeit, coordenador da imunização da vigilância epidemiológica de Blumenau, diz que o simpósio foi, sem dúvida, de suma importância para que tenhamos um olhar mais atento sobre os dados da cobertura vacinal. “O declínio expressivo de imunização de todas as vacinas do calendário do Programa Nacional de Imunização (PNI) gera uma grande preocupação por parte dos gestores municipais, pois indica a reintrodução de doenças que já tinham sido erradicadas, a exemplo da poliomielite, que causa a paralisia infantil. As vacinas ofertadas protegem contra doenças imunopreveníveis, como gripe, Covid-19, meningite, tétano, sarampo, entre outras, que acometem crianças, adultos e idosos. Precisamos conscientizar toda a sociedade sobre a importância da prevenção”, alerta Spudeit.

Assessora de comunicação: Elaine Malheiros

postada em 15/12/2022 13:22 – 10 visualizações

Fotos

Fonte: Prefeitura de Blumenau SC

Continua após a Publicidade