Saúde de Criciúma lança Protocolo de Atenção à Saúde da Mulher

Continua após a Publicidade

Notícias de Santa Catarina - SC HOJE News

Protocolos contribuem para padronizar um serviço e alinhar condutas e, na saúde, eles têm um impacto expressivo por auxiliar no acompanhamento de pacientes e no trabalho realizado pelos profissionais da área. Por isso, nessa terça-feira (13), a Secretaria Municipal de Saúde de Criciúma fez o lançamento oficial do Protocolo de Atenção à Saúde da Mulher para a Rede de Atenção à Saúde do município. O evento aconteceu na sede da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (AMREC).

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

O documento foi idealizado pelo Grupo Condutor Municipal da Rede Cegonha e Centro de Saúde da Mulher, e elaborado por vários profissionais, de várias categorias da saúde, que atuam dentro da Rede de Assistência. De acordo com o secretário de Saúde, Acélio Casagrande, o protocolo conta com 197 páginas e aborda temas como: Mastologia, Violência sexual, Câncer de Colo de Útero, Climatério, Menopausa, entre outros. “É um protocolo multidisciplinar, que contempla a prescrição de medicações, solicitação de exames e encaminhamentos também por enfermeiros, ampliando o acesso para as pacientes”, afirma.

O protocolo foi revisado e aprovado pelo Núcleo de Educação Permanente em Saúde e Humanização (Nepshu) e pelo Programa de Pós-Graduação da UNESC”, completa o secretário.

Para a enfermeira e coordenadora do Saúde da Mulher de Criciúma, Lucimara Nunes Ferreira, a partir deste protocolo os enfermeiros poderão prescrever medicações anticoncepcionais, por exemplo, melhorando a abordagem para o planejamento reprodutivo familiar. “Este protocolo passa a ser a normativa oficial da Secretaria de Saúde de Criciúma, para o atendimento a Mulheres”, pontua.

Vai qualificar a assistência à saúde da mulher e consequentemente vai contribuir para a redução da morbimortalidade e melhorar a qualidade de vida das mulheres”, finaliza a Gerente de Educação Permanente em Saúde e Humanização, Daiane Mendes de Assis Réus.

Fonte: Prefeitura de Criciúma

Continua após a Publicidade