Superintendência do Porto e APM Terminals assinam contrato de transição do Porto de Itajaí

Continua após a Publicidade

O Município de Itajaí, por meio da Superintendência do Porto, e a empresa APM Terminals firmaram na tarde desta sexta-feira (09) o contrato de arrendamento transitório da área operacional dos berços 1 e 2 do Porto de Itajaí.

O documento foi assinado eletronicamente pelo superintendente do Porto, Fábio da Veiga, que está em viagem, e presencialmente pelo diretor superintendente da APM Terminals Itajaí, Aristides Russi Junior, acompanhado nesse ato pelo prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

O chefe do Executivo lembrou que a administração pública estava trabalhando para efetivar o contrato transitório desde o mês de julho, quando uma comitiva municipal esteve em Brasília, na Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquaviários, para tratar da renovação do convênio de delegação solicitado pela União.

“A assinatura desse contrato hoje é fundamental para a manutenção dos trabalhos em nosso porto enquanto o Governo Federal não conclui o processo de desestatização do terminal, que definirá o novo operador portuário de Itajaí para próximas décadas, mas que infelizmente está atrasado”, lembra Morastoni.

O prefeito, que retornou às atividades nessa semana, após dois meses afastados para tratamento de saúde, destaca ainda a importância da prorrogação da parceria com a APM. “É uma empresa que está em nossa cidade há bastante tempo. Havia um apelo dos trabalhadores e da sociedade para que ela permanecesse e, após todas as análises técnicas e jurídicas da Superintendência do Porto, estamos felizes em anunciar a assinatura do contrato”, explica.

O diretor superintendente da APM Terminals Itajaí afirma que a empresa sempre dialogou com as autoridades locais e federais, com intuito de encontrar a melhor alternativa. “Agora, com a segurança de que estaremos operando em 2023, podemos voltar ao mercado e reposicionar Itajaí como uma ótima opção aos nossos clientes”, revela.

Aristides destaca também que a decisão de permanecer em Itajaí leva em consideração o compromisso que a empresa tem em honrar seus valores. “Estamos assumindo os riscos que o momento nos impõe, mas não poderíamos simplesmente deixar o Porto de Itajaí. E, desde a retomada das conversas, nosso time local e regional esta completamente empenhado em recuperar mercado”, finaliza.

Fonte: Prefeitura de Itajaí

Continua após a Publicidade