Criciúma recebe certificação nacional de eliminação da transmissão vertical do HIV

Continua após a Publicidade

Notícias de Santa Catarina - SC HOJE News

Criciúma recebeu, na última quarta-feira (7), duas certificações nacionais no combate e prevenção às infecções sexualmente transmissíveis (ISTs). Na avaliação, realizada pelo Ministério da Saúde, o município figurou entre as quatro cidades do estado a conquistar a Certificação da Eliminação da Transmissão Vertical do HIV. A cerimônia de entrega das certificações ocorreu em Brasília.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

A transmissão vertical acontece quando a criança é infectada durante a gestação, parto, e até mesmo, em alguns casos, durante a amamentação”, explica o secretário de Saúde, Acélio Casagrande. Criciúma também conquistou o Selo Prata de Boas Práticas rumo à eliminação da Sífilis Congênita, que também se caracteriza pela transmissão de mãe para filho.

Apenas 43 cidades do Brasil receberam o certificado de eliminação da transmissão vertical, o que, novamente, coloca Criciúma como destaque de saúde nacionalmente. É um reconhecimento do trabalho de todos os servidores da Secretaria de Saúde, e também dos demais profissionais da área que atuam no município”, destaca o prefeito Clésio Salvaro, que aproveitou a agenda na capital para representar a cidade no evento e receber os certificados.

Segundo o guia do Ministério da Saúde que orienta estados e municípios para a certificação, os certificados e selos refletem a qualidade da assistência no pré-natal, parto, puerpério e seguimento da criança, além de reconhecer o trabalho realizado em determinado território para a eliminação da transmissão vertical de HIV e sífilis.

Para a avaliação, o Ministério da Saúde analisa uma série de metas e indicadores de impacto. “Em Criciúma temos, por exemplo, uma taxa de incidência de crianças infectadas pelo HIV por transmissão vertical de 0%. Além disso, a cobertura de teste rápido de HIV e sífilis em gestantes é de 100%, assim como a taxa de uso de terapia antirretroviral em gestantes com HIV”, informa a coordenadora do Programa de Atenção Municipal às ISTs, HIV e Aids (Pamdha), Patrícia Oenning.

Fonte: Prefeitura de Criciúma

Continua após a Publicidade