Secretaria de Educação promove 1ª Feira Maker e reúne mais de 30 projetos da área de tecnologia

- PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

A Secretaria de Educação, através da Diretoria de Tecnologias Educacionais (DITEC), realizou nesta quarta-feira (07) a 1ª Feira Maker, que reuniu 32 projetos desenvolvidos pelas unidades escolares da Rede Municipal de Ensino. Os trabalhos foram realizados em parceria entre os alunos, professores e instrutores de informática ao longo do ano e durante o contraturno escolar. O objetivo é desenvolver atividades que proporcionem aprendizagens práticas, criativas, interdisciplinares e com suporte da tecnologia.

Um dos destaques foi a Escola Inês Cristofolini de Freitas, do bairro Itaipava, que trouxe um carro para a feira, com simulação em 3D, para exibir o jogo desenvolvido pelos estudantes na plataforma Roblox. Os visitantes também puderam entrar no cockpit e testar o game. Todo o projeto levou seis meses para ser desenvolvido.

- PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

“Acreditamos que trabalhando com a cultura maker, do criar, compartilhar e transformar, estamos aliando a necessidade do ensino-aprendizagem de forma integral, para que os alunos utilizem as práticas aqui aprendidas, ao longo de suas vidas, diante dessa sociedade digital e conectada em que vivemos. Hoje o nosso mercado de trabalho está carente de mão de obra nesta área, então estamos preparando jovens para um futuro bastante promissor”, afirmou o instrutor de informática da Escola Básica Inês Cristofolini de Freitas, Giovano da Cruz Balestra.

Ao longo de todo o dia, os trabalhos ficaram em exposição no piso térreo da Secretaria de Educação e receberam visitas de escolas particulares, autoridades e professores de Itajaí e região e de outros alunos da Rede Municipal, que puderam conhecer de perto as ações desenvolvidas nas escolas e centros de educação em tempo integral (CEDINs) do Município.

O CEDIN Emílio Gazaniga Júnior, do bairro São Vicente, por exemplo, expôs na feira um robô (exoesqueleto) confeccionado pelos alunos da unidade, com o auxílio do professor Edegilson de Souza e do instrutor de informática Emerson Vioto. “O nosso Power Loader P 5mil foi inspirado no filme Aliens – o Resgate, de 1986, e confeccionado a partir de materiais recicláveis, como ferro velho, papelão, isopor, canos de pvc. Foi um grande desafio, porque produzimos o nosso exoesqueleto em apenas um mês”, informou o professor Edegilson.

Projetos contribuem no desenvolvimento dos alunos

Casas inteligentes, lixeiras automáticas, maquetes com placa arduíno (placa de prototipagem eletrônica de código aberto), e jogos educativos e em scratch. Teve até uma mesa de ping pong com lançador automático de bolinhas desenvolvida pela Escola Hulse Peixoto, da Murta. A HP Pong é feita com materiais recicláveis e que disparam bolinhas de três em três segundos como uma forma de fazer com que os atletas evoluam na prática desse esporte, tão fundamental para a unidade de ensino.

“Somente neste ano fomos campeões de ping pong, no masculino e feminino, nas categorias mirim e infantil nos Jogos Escolares de Itajaí (JEI) e nos Jogos Escolares da Rede Municipal de Ensino (JORME). Então nada mais do que correto desenvolvermos ações que visem nosso desenvolvimento para as próximas competições”, comentaram os alunos Christian Milani dos Santos e Davi Alexandre Martins da Silva, do 8º ano.

O fio condutor para o desenvolvimento de todos os projetos têm como base as 10 Competências Gerais estabelecidas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC). “Além da forma prazerosa do ensino por meio da tecnologia, tem-se a responsabilidade de oferecer condições para que os instrutores, oriundos de diferentes unidades escolares, tenham oportunidades que possibilitem o caminhar pelo conhecimento neste mundo fantástico e encantador. Parabéns a todos os profissionais envolvidos, nossos instrutores de informática, toda equipe das unidades, equipe da secretaria… Esses projetos, com certeza, nos dão forças para continuarmos firmes e orgulhosos com o que vem sendo desenvolvido pela nossa Rede”, destacou a secretária de Educação de Itajaí, Elisete Furtado Cardoso.

Premiação

No fim da tarde, foram premiados os melhores trabalhos, que foram julgados por uma comissão composta por profissionais de fora da Secretaria. Eles analisaram a estética, a apresentação, o domínio do conteúdo, a complexidade e a criatividade dos projetos, além da inovação, sustentabilidade e aplicação pedagógica. O primeiro lugar ficou com a Escola Inês Cristofolini de Freitas, o segundo lugar foi para o Centro Educacional de Cordeiros e o Grupo Escolar Guilhermina Buchelle Muller ficou com a terceira colocação. Foram premiados os alunos envolvidos no projeto, a direção e os instrutores de informática das unidades. Todos os estudantes receberam medalhas de participação na 1ª Feira Maker.

“Orgulho e muita emoção são as palavras que definem este momento. Só gratidão a todos os nossos profissionais, que desenvolvem trabalhos de altíssimo gabarito nas unidades e que deram uma grande amostra em nossa feira. Que em 2023 possamos ampliar o número de projetos participantes, com a realização da 2ª Feira Maker. Com certeza, será mais um sucesso”, comemorou a supervisora de desenvolvimento de tecnologias educacionais, Edizael Adriana da Rosa. 

Fonte: Prefeitura de Itajaí

Continua após a Publicidade