Levantamento mostra situação estável da transmissão de dengue em Itajaí

- PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

O resultado do Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa), realizado pelo Programa de Controle da Dengue de Itajaí no mês de novembro deste ano, apontou o Município com médio risco de transmissão da dengue, chikungunya e zika vírus. Nenhum bairro da cidade apresentou alto risco neste relatório. O levantamento foi publicado no 10° Boletim Epidemiológico, elaborado pela Secretaria da Saúde (clique aqui e acesse o documento completo).

Seis bairros apresentaram risco médio no LIRAa: Barra do Rio, Cordeiros, São João, São Judas, Salseiros e Espinheiros. Outras 11 localidades apresentaram baixo risco: Cidade Nova, Centro, Cabeçudas, Canhanduba, Dom Bosco, Fazenda, Itaipava, Praia Brava, Ressacada, São Vicente e Vila Operária. Em relação ao ano passado, eram nove bairros considerados de médio risco e oito de baixo risco, o que representa uma redução de 34% nas comunidades consideradas de alto risco.

- PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

O LIRAa foi realizado entre os dias 07 e 11 de novembro deste ano em todos os bairros do Município. Foram visitados 3.360 imóveis e inspecionados 5.149 depósitos, sendo que foram encontrados 43 focos positivos do mosquito Aedes aegypti, todos estavam em residências e/ou comércios.

“Essa atividade permite a identificação de áreas com maior proporção e ocorrência de focos do Aedes aegypti, além de criadouros predominantes, indicando o risco de transmissão de doenças. Com o LIRAa, conseguimos adotar estratégias mais efetivas no controle da doença”, afirma o coordenador do Programa de Controle da Dengue, Lucio Vieiras.

Dengue

Além do trabalho desenvolvido com o LIRAa, o Município de Itajaí manteve a queda no número de casos de dengue em 2022. De acordo com o 10° Boletim Epidemiológico, foram registrados 345 casos confirmados da doença de janeiro até o dia 26 de novembro. O dado apresentou uma redução de 6% quando comparados aos números de 2021.

Dentre as confirmações, 271 casos são autóctones (transmissão dentro do município), 30 são importados (transmissão fora do município) e 44 são indeterminados. Os bairros São João (52 casos), Cordeiros (41), Fazenda (37) e Cidade Nova (26) foram os que registraram a maior quantidade de casos autóctones neste ano.

O número de focos positivos também caiu na cidade. Foram registrados 846 focos de dengue em 2022, uma redução de 24% na comparação com o ano anterior, que contabilizou 1.119 focos no mesmo período.

Os focos identificados no município estão espalhados por 17 bairros. Os que possuem maior registro são: Cordeiros (218 focos), Fazenda (86), Cidade Nova (85), Praia Brava (80), São Vicente (74), São João (64), Centro (57) e Barra do Rio (52).

Além dos números da dengue, o boletim epidemiológico também informou que no período de janeiro a novembro de 2022 não houve confirmação de casos positivos de chikungunya e zika vírus em Itajaí. 

Fonte: Prefeitura de Itajaí

Continua após a Publicidade