Alesc recebe prêmio e certificado de Assembleia Cidadã pelo PAB

Continua após a Publicidade

O presidente da União Nacional dos Legisladores e dos Legislativos Estaduais (Unale), deputado Lídio Lopes (Patriota-MS), entregou oficialmente, na tarde desta quarta-feira (7), em Florianópolis, o troféu e o selo de Assembleia Cidadã ao Programa Antonieta de Barros (PAB), da Assembleia Legislativa, vencedor da 3ª edição do Prêmio Unale Assembleia Cidadã, realizado na Arena Pernambuco, em Recife (PE), em outubro deste ano. O PAB concorreu na categoria Projetos Especiais, que premia trabalhos que tratem diretamente da vida do cidadão, fora das ações normais do Parlamento. 

Além do troféu, a Alesc recebeu R$ 20 mil para investir no programa e o direito de usar o selo Assembleia Cidadã. “Esse prêmio que a Alesc recebeu é um reconhecimento ao trabalho desenvolvido pelo PAB, que tem também a contribuição da Escola do Legislativo Deputado Lício Mauro da Silveira, braço pedagógico do Parlamento catarinense. Uma premiação aos estagiários que a Alesc contrata, que vêm para cá para se preparem para entrar no mercado de trabalho.” Sopelsa salientou que os estagiários, além de terem a oportunidade de aprender uma profissão, contam com auxílio financeiro e vale-alimentação que auxilia suas famílias. 

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

O prêmio tem como objetivo incentivar projetos que busquem a humanização do serviço público e do Poder Legislativo. “É uma honra estar aqui entregando esse prêmio na categoria especial à Alesc devido ao PAB, que tem um resultado fantástico pela inclusão social, principalmente de jovens em estado de vulnerabilidade, mas principalmente abrindo oportunidade a esses jovens de entrarem no mercado de trabalho. Uma satisfação homenagear esse belíssimo projeto”, destacou o presidente da Unale, deputado Lidio Lopes. Ele salientou que essa premiação também é um incentivo para que as demais Casas Parlamentares do Brasil adotem projetos semelhantes. 

O deputado Kennedy Nunes (PTB), que foi presidente da Unale e idealizador da criação do Prêmio Assembleia Cidadã, destacou a importância da premiação e explicou que durante 2023 a Alesc poderá usar o título de Assembleia Cidadã em seus documentos. “O bom de tudo é que eu criei este prêmio durante o período que fui presidente da Unale. Em cada visita que fiz nas Assembleias Legislativas descobri que elas fazem um trabalho que vai além do que é previsto e muitas vezes fica escondido, muitas vezes nem mesmo os deputados conhecem, essa foi uma forma de mostrar e gerar uma competitividade”.

Kennedy explicou aspectos da honraria recebida pelo Parlamento. “O prêmio é itinerante e somente quando uma Assembleia recebe a premiação três vezes que poderá ficar com o troféu permanentemente. Além disto, o recurso de R$ 20 mil é para aplicação no próprio projeto, que muitas vezes não pode receber dinheiro público das Assembleias e com esse recurso poderá ampliar seus benefícios. Para mim também é importante essa premiação, já que estou encerrando o mandato e esse meu filho veio para Santa Catarina na saída do Parlamento.”

A a coordenadora de Estágios, Miriam Lopes, responsável pelo PAB, comemorou a conquista da premiação e destacou a importância do programa para o desenvolvimento dos jovens catarinenses em vulnerabilidade social e econômica. “Para nós, 2022 foi um ano de muitas conquistas e próspero.” Destacou ainda que o PAB, além de sua importância social, desempenha papel essencial na formação profissional de muitos jovens, que geralmente chegam ao mercado de trabalho sem a experiência exigida. “O programa oferece a oportunidade que transforma vida. Nós os preparamos para o mercado de trabalho e ao mesmo tempo os servidores do Parlamento e os deputados convivem com uma parcela da sociedade que é invisível. É gratificante a vivência com eles.”

Saiba mais
O Programa Antonieta de Barros foi instituído por lei em Santa Catarina em 2004, com o propósito de oferecer vagas de estágio dentro da Assembleia Legislativa para jovens em situação de vulnerabilidade social. Desde então, mais de 500 estudantes já foram formados pelo projeto.

São beneficiados jovens entre 16 e 24 anos, que estão regularmente matriculados no ensino médio, técnico ou superior e têm renda familiar inferior a 2,5 salários-mínimos regionais. O estágio tem duração de um ano, renovável por mais um. Os jovens selecionados recebem mensalmente R$ 650, mais R$ 150 de auxílio transporte e R$ 600 de auxílio-alimentação. Já os estagiários com curso superior recebem R$ 950 mensalmente, mais R$ 600 de auxílio alimentação e R$ 150 de auxílio transporte.

Este é o segundo prêmio nacional que o PAB conquista. Em 2013, o programa da Alesc foi contemplado com o “Prêmio Camélia da Liberdade Ação Afirmativa – Atitude Positiva”, na categoria Poder Público. A premiação é promovida pelo Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (Ceap).

Fonte: Agência ALESC

Continua após a Publicidade