IMA divulga o primeiro relatório de balneabilidade da temporada 2022-2023

- PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

O Instituto do Meio Ambiente do Estado de Santa Catarina (IMA) divulgou nesta sexta-feira, 25, o primeiro relatório de balneabilidade da temporada 2022-2023. O documento apresenta o balanço das cinco últimas análises semanais consecutivas que começaram no dia 17 de outubro deste ano.

De acordo com o resultado, 83,1% dos pontos analisados nos 500 quilômetros da costa catarinense estão próprios para banho. Isso representa 197 dos 237 locais avaliados. Em Florianópolis, dos 87 pontos onde há coleta, 77 estão em condições de receber banhistas, o que representa 88,5%.

- PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

As análises realizadas em 27 municípios litorâneos e mais de 100 praias e balneários do Sul ao Norte, compondo as cidades de: Araranguá, Balneário Arroio do Silva, Balneário Gaivota, Balneário Camboriú, Balneário Barra do Sul, Balneário Rincão, Barra Velha, Biguaçu, Bombinhas, Florianópolis, Garopaba, Governador Celso Ramos, Imbituba, Itajaí, Itapema, Itapoá, Jaguaruna, Joinville, Laguna, Navegantes, Palhoça, Passo de Torres, Penha, Balneário Piçarras, Porto Belo, São Francisco do Sul e São José.

“O monitoramento de balneabilidade é feito pelo Instituto por uma equipe técnica de excelência, que conta com apoio do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina, para disponibilizar à população um serviço de qualidade, credibilidade e muito importante também para o turismo catarinense”, declara o presidente do IMA, Daniel Vinicius Netto.

O diretor de Engenharia e Qualidade Ambiental, Fábio Castagna da Silva, reforça que os banhistas podem consultar a situação da praia que frequentam pelas placas indicativas, que esse ano foram todas renovadas, pelo site do IMA e pelo aplicativo Praia Segura. “O banhista deve ter atenção para não frequentar locais impróprios, pois indica alta probabilidade de presença de patógenos nas águas e que levariam a doenças. Em caso do cidadão observar a chegada de materiais contaminados no mar, orientamos para denunciar imediatamente a ocorrência aos órgãos ambientais e de vigilância sanitária”, conclui.

Metodologia

O Estado tem o segundo maior monitoramento de balneabilidade do Brasil tendo como base uma metodologia de trabalho segura realizada há mais de 40 anos. As análises são baseadas na Resolução Conama 274/2000 e tem como parâmetro a Escherichia coli, que é uma bactéria encontrada no sistema digestivo dos animais de sangue quente.

O local é considerado próprio para banho quando em 80% ou mais de um conjunto de amostras obtidas em cada uma das cinco semanas anteriores, colhidas no mesmo local, houver, no máximo 800 Escherichia coli por 100 mililitros. E impróprio, quando no trecho avaliado for verificada uma das seguintes ocorrências: 

a) não atendimento aos critérios estabelecidos para as águas próprias; 

b) quando o valor obtido na última amostragem for superior a 2000 Escherichia coli por 100 mililitros.

Nesta temporada o IMA vai fazer testes com um segundo indicador de balneabilidade, que é o Enterococos. E a partir da viabilidade técnica e financeira, vai verificar a inclusão desse novo indicador. As análises não estarão ainda disponíveis ao acesso do público.

Divulgação dos Resultados

Durante a baixa temporada, de abril a outubro, a pesquisa é feita mensalmente. Já de novembro a março, na alta temporada, os resultados são divulgados todas as semanas sempre às sextas-feiras no período vespertino. A coleta é realizada pelo Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, que mantém uma parceria com o IMA desde 2019, sempre de segunda a quarta-feira.

Os resultados e históricos das coletas podem ser acessados na íntegra pelo site: balneabilidade.ima.sc.gov.br e pelo aplicativo Praia Segura.

Fonte: Governo SC

Continua após a Publicidade