Centros de Educação em Tempo Integral promovem evento Africanidades

- PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

O Centro de Educação em Tempo Integral (CEDIN) Napoleão de Souza, do bairro São Vicente, promoveu nesta quarta-feira (23), o evento “Africanidade nos CEDINS”. O encontro envolveu os sete centros do município e a educação integral da Escola Básica Aníbal César.

“O Dia da Consciência Negra é celebrado em 20 de novembro. Essa data foi escolhida como tributo ao dia da morte do líder Zumbi dos Palmares que combateu a escravidão no Brasil. Por isso, é um dia para estimular a reflexão sobre a luta do povo negro pela igualdade”, destacou a supervisora do programa da Diversidade Étnico-Racial, de Gênero e Combate ao Bullying, Adriana dos Santos.

- PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

O evento aconteceu nos períodos matutino e vespertino e envolveu cerca de 200 estudantes em uma série de apresentações de música e dança. O CEDIN Napoleão de Souza presentou a coreografia da música “Dança dos Tambores dos Palmares”, levou a coreografia da música “O Lêlê vem dançar” e os professores Willian Goe e Ricardo Domingues apresentaram a peça de percussão em ritmo afro. Já a professora e musicista Bárbara Dámasio, juntamente com os alunos da unidade, interpretaram a música “Olhos Coloridos”, de Sandra de Sá.

“O samba, estilo de música e dança tão marcantes no Brasil, existe por décadas e até hoje reúne amantes pelo país. Toda essa paixão pode ser vista pelo Brasil inteiro e é mais uma herança do povo negro escravizado”, informou o diretor do CEDIN Napoleão de Souza, Anilton Cristóvão de Souza

O Centro de Educação em tempo Integral Dilzelena Márcia Teixeira fez a coreografia da música “Preto em Movimento”. O CEDIN Jacy Dias Ramos apresentou a brincadeira “Amarelinha Africana”.O CEDIN Ângela Dalçóquio fez a coreografia da música “Escravos de Jó” e a Educação Integral da Escola Básica Aníbal César, apresentou o samba enredo da Vila Isabel, de autoria de Martinho da Vila. A apresentação foi feita pelo grupo Batuk´s e foi acompanhado pelo grupo de dança coordenado pela professora Larissa Pereira Rodrigues.

“Esse, com certeza, foi um evento em que pudemos contemplar os vários ritmos, a cultura e a diversidade do povo africano, em um grande intercâmbio cultural com os centros de educação em tempo integral e a nossa escola. Foram apresentações muito ricas e que encheram os olhos de todos”, enfatizou a diretora da Aníbal César, Elenice Furtado.

Dia da Consciência Negra celebrado em outras unidades

O dia da Consciência Negra também foi celebrado em outras unidades da Rede Municipal de Ensino. O Centro de Educação Infantil (CEI) Gabriel Dalago montou um safari que conta a história da África, suas comidas, brincadeiras, artes, culturas e os animais nativos, através do projeto “Consciência Negra: Itajaí sem Racismo, que proporcionou aos alunos e à comunidade escolar, momentos de aprendizagem referente à cultura africana e afro-brasileira nos mais variados aspectos.

O CEI Heluiz Gonzaga realizou uma série de ações alusivas à data, que culminou com apresentações artísticas, confecções de máscaras e contações de histórias. O CEI João Sandri desenvolveu a consciência nos alunos do respeito e da valorização dos povos negros, da cultura africana e afro-brasileira na sociedade, destacando a importância dos mesmos na construção da identidade do povo brasileiro. Já a Escola Básica Arnaldo Brandão promoveu na manhã desta quinta-feira (24), o concurso Miss e Mister Black.  Edson e Yasmim ficaram com os terceiros lugares. João Vinícius e Sara, em segundo e, em primeiro lugar, Maria Eduarda. 

Fonte: Prefeitura de Itajaí

Continua após a Publicidade