Deputados criticam reações aos ditos atos antidemocráticos

- PUBLICIDADE -

Membros da bancada do PL criticaram as reações das instituições e das pessoas diante dos chamados atos antidemocráticos durante a sessão de quarta-feira (23) da Assembleia Legislativa.

Sargento Lima (PL) denunciou “termo de audiência administrativa realizada em Brusque” com o objetivo de retirar os manifestantes acampados defronte ao Tiro de Guerra daquela cidade para abrigá-los em um grande pavilhão de festas.

- PUBLICIDADE -

“Pediram para retirar os manifestantes defronte ao Tiro de Guerra de Brusque para serem realocados no Pavilhão da Fenarreco, mas quem decide são os próprios manifestantes, é a democracia e foi lá que escolheram. A única autoridade para dizer ‘vocês não vão ficar na frente do quartel’ é o comandante do quartel”, avaliou Lima.

O deputado criticou duramente o ex-prefeito de Brusque, Paulo Eccel, por ter escrito um tuíte irônico avisando os manifestantes “que o hospício municipal de Brusque vai mudar de endereço”.

Jessé Lopes acompanhou o colega, responsabilizou “elementos infiltrados” pelo fechamento de estradas e criticou autoridades catarinenses que reagiram aos bloqueios.

“O Procurador-Geral foi fazer fofoquinha para o ministro Alexandre Moraes de que idosos e crianças sendo usados como escudos e que empresários estão financiando atos antidemocráticos; uma desembargadora determinou verificações e medidas para correção de danos e violações de direitos humanos; mas vocês foram pessoalmente fazer uma análise técnica do que está acontecendo? Vocês mandaram quem lá? Um maconheiro da UFSC para escrever tanta asneira assim”, contestou Jessé.

O deputado também revelou que o Conselho Tutelar foi acionado para verificar se há crianças e adolescentes nas manifestações.

“E se tiver? Estão com os pais. É muita humilhação para quem está na rua”, reclamou.

Contestação das eleições
Sargento Lima relativizou a decisão do ministro Alexandre de Moraes de conceder 24 horas para que o Partido Liberal adite a petição na qual pede a impugnação de urnas usadas no segundo turno para abarcar também as urnas utilizadas no primeiro turno, haja vista serem as mesmas.

“Um bode na sala para assustar alguém que foi eleito no primeiro turno? A mim não assusta”.

Salvamento aquático
Coronel Mocellin (Republicanos) destacou a participação dos guarda-vidas militares e civis de Santa Catarina no 21º Sobrasa Rescue, que aconteceu em Torres (RS), entre os dias 17 e 19 de novembro.

“Conquistamos mais um título e agora somos hexacampeões de salvamento aquático”, ressaltou Mocellin, que elogiou o Corpo de Bombeiros Militar e os guarda-vidas civis que competiram, assim como todos que atuam nos balneários do estado, tanto no litoral como no interior.

Fonte: Agência ALESC