Rede Laço lança plataforma que unifica e dá transparência à promoção de editais de apoio ao terceiro setor

Continua após a Publicidade

A Rede Laço apresentou nesta segunda-feira, 21, um software criado para padronizar a divulgação de editais de destinação de recursos a projetos sociais e entidades do terceiro setor. A iniciativa, que é pioneira em Santa Catarina, prevê mais facilidade e transparência para a fiscalização dos resultados das chamadas públicas.

“Este governo vem trabalhando desde o início pelo fortalecimento do terceiro setor em Santa Catarina. O primeiro passo foi a criação da Rede Laço, depois a publicação da Política Estadual de Incentivo ao Terceiro Setor, e agora mais esta iniciativa. É uma ferramenta que precisa da participação efetiva de todas as secretarias, para que projetos importantes continuem sendo atendidos e recebendo atenção do poder público”, afirma a primeira-dama Késia Martins da Silva, que preside o conselho da Rede Laço.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

Participaram da apresentação servidores das secretarias de Estado de Desenvolvimento Econômico Sustentável e Desenvolvimento Social, da Celesc e da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de SC (Fapesc). Na próxima semana, uma nova apresentação será feita a servidores da Casan, da Fundação Catarinense de Cultura (FCC) e do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).

Conheça os benefícios da plataforma

A partir de agora, todos os editais de chamada pública para apoio a projetos sociais seguirão um padrão, concentrados dentro da plataforma Rede Laço. O software foi desenvolvido dentro do Sistema Integrado de Planejamento e Gestão Fiscal (SIGEF), programa que já é gerido pela Secretaria de Estado da Fazenda e utilizado por todas as instituições do poder público catarinense, sem novas contratações ou custos adicionais.

Anteriormente, as instituições promoviam as ações individualmente, contratando uma empresa especializada a cada lançamento de edital. Agora, com um espaço desenvolvido e gerido pelo Estado, estas contratações não serão mais necessárias, o que garante mais agilidade e economia de recursos públicos no apoio aos projetos.

A concentração dos editais dentro da mesma plataforma também dão mais transparência a todos os processos, permitindo que os cidadãos catarinenses possam consultar quais projetos são apoiados, como ocorrem as seleções dos candidatos e os recursos públicos destinados a cada instituição ou iniciativa. Estas informações devem ser compiladas em um painel BI, que será desenvolvido em parceria com o Ciasc.

A criação da plataforma foi capitaneada pelo coordenador de projetos da Rede Laço, o professor Eduardo Silva. Segundo ele, a ideia é que a plataforma seja aprimorada conforme for utilizada. Após a reunião de apresentação, todas as instituições vinculadas ao Estado devem indicar ao menos um servidor a ser cadastrado no programa.

Fonte: Governo SC

Continua após a Publicidade