Mês da Consciência Negra traz homenagens, tradição e música neste domingo

- PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

O 15º Mês da Consciência Negra de Joinville terá, neste domingo (20/11), eventos que homenageiam a história, a cultura e as tradições das pessoas pretas e afrodescendentes.

A programação terá início às 10h, com a Homenagem à Ancestralidade, no Cemitério dos Imigrantes (rua XV de Novembro, 1000 – América). O evento é um ritual em referência às pessoas pretas sepultadas no local, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

- PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

No pátio da Casa da Memória, junto ao Cemitério dos Imigrantes, serão entoadas cantigas acompanhadas por instrumentos musicais considerados sagrados, como atabaques, agogôs e xequerês.

Ainda como parte da homenagem, um adorno de flores será depositado na lápide onde estão inscritos os nomes de pessoas sepultadas no Cemitério dos Imigrantes, desde meados do século XIX. Entre os falecidos, estão pessoas jovens e crianças acometidas por doenças comuns à época (tuberculose e pneumonia), inclusive escravos e negros já libertos.

No período da tarde, às 15h, na Praça da Bandeira, acontece a Lavagem do Monumento dos Imigrantes, com cortejo que sairá às 14h30, do Museu Nacional da Imigração e Colonização (MNIC), na Praça das Palmeiras.

O ritual é uma manifestação religiosa pública e ecumênica, inspirada na famosa lavagem das Escadarias do Bonfim de Salvador, na Bahia, e tem caráter purificador.

De acordo com os organizadores, o objetivo da ação é integrar o valor da cultura afro-brasileira ao monumento dedicado aos imigrantes que ajudaram a colonizar Joinville, bem como celebrar o reconhecimento da população negra na construção história e cultura de Santa Catarina.

A programação do domingo será encerrada a partir das 19h, com o Show da Consciência Negra, na casa de eventos Yelo Stage (rua Procópio Gomes, 358 – Centro), quando acontecerá o lançamento dos enredos e sambas enredos do Desfile Cultural Carnaval 2023, realizado pela Liga das Escolas de Samba de Joinville (LIESJ).

Para a yalorixá Jacila Barbosa, presidente da Associação Casa da Vó Joaquina, a programação do Mês da Consciência Negra é uma oportunidade para a comunidade conhecer mais sobre a história, a cultura e as tradições do povo negro.

“Muitas histórias estão registradas, mas a população não conhece. São cantigas que relatam a história carregada de luta e sofrimento, as danças com seus movimentos. O negro luta com o seu sorriso e dançando ao Sagrado, pedindo alívio e respeito”, compartilha Mãe Jacila.

A programação do 15º Mês da Consciência Negra de Joinville finaliza no dia 25 de novembro, às 18h, com a Feijoada com Ashe, na Casa da Vó Joaquina, que fica na rua Erivelton Martins, 669, no bairro Ulysses Guimarães.

O Mês da Consciência Negra em Joinville é uma realização da Casa da Vó Joaquina, com apoio da Prefeitura de Joinville, por meio do Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial (Compir), e da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil. O projeto conta com recursos do Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura (Simdec) da Secretaria de Cultura e Turismo (Secult).

Fonte: Prefeitura de Joinville

Continua após a Publicidade