Presidente da Alesc destaca importância da conquista de prêmio pelo PAB

Continua após a Publicidade

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Moacir Sopelsa (MDB), destacou nesta segunda-feira (14) a importância da conquista do Prêmio Assembleia Cidadã, promovido pela União Nacional dos Legisladores e dos Legislativos Estaduais (Unale), para o Parlamento catarinense. Na última sexta-feira (11), a Alesc foi premiada pela entidade pelo Programa Antonieta de Barros (PAB), que há 18 anos oferece estágios para jovens em situação de vulnerabilidade social.

“Recebemos muitos elogios sobre o programa e vimos que ele está no caminho certo”, ressaltou, que recebeu o troféu pessoalmente, durante a conferência da Unale, realizada em Recife (PE). “Além de valorizarmos aqueles que mais necessitam, abrimos a possibilidade desse jovem receber um salário e adquirir experiência.”

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -
Continua após a Publicidade

Para Sopelsa, o aprendizado adquirido pelos estagiários é um dos pontos mais importantes do PAB. Ele ressalta que o estágio oferece aos jovens a condição de chegarem mais preparados ao mercado de trabalho.

“O aprendizado para mim é o mais importante. O PAB permite que os jovens conheçam todos os setores da Assembleia, o que ela faz, a importância dela, além da troca de informações. Permite que eles consigam um trabalho já com uma experiência que dá segurança para eles e para quem irá contratá-los”, comentou.

O presidente reiterou os agradecimentos a todos os envolvidos com o PAB. “Temos que fazer uma homenagem à Miriam [Lopes Pereira], que é a coordenadora do programa, e em nome dela a todos aqueles que contribuíram para o PAB. Da mesma forma, ao diretor-geral da Casa [André Luiz Bernardi] e a todos aqueles que colaboraram para essa conquista”, destacou.

Além do troféu, a Alesc recebeu pela conquista R$ 20 mil para investir no programa e o direito de usar o selo Assembleia Cidadã.

Saiba mais
O Programa Antonieta de Barros foi instituído por lei em Santa Catarina em 2004, com o propósito de oferecer vagas de estágio dentro da Assembleia Legislativa para jovens em situação de vulnerabilidade social. Desde então, mais de 500 estudantes já foram formados pelo projeto.

São beneficiados jovens entre 16 e 24 anos, que estão regularmente matriculados no ensino médio, técnico ou superior e têm renda familiar inferior a 2,5 salários mínimos regionais. O estágio tem duração de um ano, renovável por mais um. Os jovens selecionados recebem mensalmente R$ 650, mais R$ 150 de auxílio transporte e R$ 600 de auxílio-alimentação. Já os estagiários com curso superior recebem R$ 950 mensalmente, mais R$ 600 de auxílio alimentação e R$ 150 de auxílio transporte.

Neste ano, um dos diferenciais do programa foi a parceria com a Junior Achievement (JA) que proporcionará o direcionamento dos jovens do PAB para o mercado de trabalho ao fim do estágio na Alesc.

Fonte: Agência ALESC

Continua após a Publicidade