Programa Bebê Precioso celebra 13 anos com mais de 1,3 mil crianças atendidas em Joinville

- PUBLICIDADE -

Para celebrar os 13 anos de atividade do Programa Bebê Precioso e o primeiro ano como Política Pública no município, a Secretaria da Saúde de Joinville (SES), por meio da Gerência de Serviços Especiais, realiza nesta quarta-feira (26/10), o evento Bebê Precioso 2022. O encontro será no Centrinho, localizado na rua Borba Gato, 685, bairro Atiradores, das 14h às 15h30.

Direcionado a médicos e enfermeiros, o evento contará com palestra que vai abordar a importância das terapias multidisciplinares, como fisioterapia, terapia ocupacional, fonoaudiologia e psicologia, no tratamento de bebês nascidos em situação de risco, buscando promover sua qualidade de vida e visando a redução de prejuízos à saúde da criança e, até mesmo, da mortalidade infantil.

- PUBLICIDADE -

Ainda na programação do evento, às 14h30 acontecerá a apresentação com o coral formado por alunos da Casa da Cultura de Joinville. Também estarão presentes pais e bebês acompanhados pelo programa.

Profissionalismo, atenção e cuidado

Em atividade desde 2009 e instituído como Política Pública do Município, em 2021, o Programa Bebê Precioso já cadastrou mais de 1,3 mil crianças. O Programa atende a todas as crianças que, após o nascimento, precisam de atendimento em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal.

De acordo com a pediatra da SES, Fátima Mucha, por meio do programa Bebê Precioso, Joinville é pioneira no processo de cuidado e atendimento precoces, o que possibilita aos bebês prematuros um avanço expressivo em seu desenvolvimento.

“O Bebê Precioso oferece um cuidado diferenciado para esses bebês que nascem muito prematuros e que necessitam de suporte já na fase inicial, nos seus primeiros dois anos de vida”, explica a pediatra.

Entre tantos casos, está o da pequena Luani Fagundes, atualmente com 5 anos de idade. Ela nasceu com a Síndrome de Goldenhar, anomalia que a impede de respirar, ouvir e se alimentar. De acordo com a mãe de Luani, Jociane Fagundes, a pequena foi intubada logo após o nascimento e permaneceu três meses na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

“Os médicos diziam que ela não ia sobreviver. Mas a doutora Fátima Mucha pegou o caso dela e os profissionais fizeram a traqueostomia que permite que ela respire até hoje”, conta Jociane.

Logo que saiu da UTI, Luani passou a ser acompanhada pelo Programa Bebê Precioso, onde recebeu atendimento de todos os profissionais da equipe: médico neurologista, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional e psicólogo.

“O Bebê Precioso foi o que fez a Luani disparar. Até um ano de idade, ela não se movimentava. Mas com todos os estímulos, quando completou um ano e nove meses começou a engatinhar e não parou mais. Só tenho a agradecer à doutora Fátima e a toda equipe”, declara Jociane.

Nascido com 25 semanas de gestação, Gabriel da Silva Figueiredo também permaneceu internado na UTI até completar dois meses e meio de vida. Já no primeiro mês após a alta, foi admitido pelo Bebê Precioso. Agora, com um ano e nove meses de idade, o pequeno cresce de forma saudável, sem sequelas físicas e já balbucia as primeiras palavras.

“O Programa Bebê Precioso foi muito importante para o Gabriel. Sem o acompanhamento, só em casa, ele não teria conseguido alcançar o desenvolvimento que tem hoje. Além dos cuidados que ele recebia nos atendimentos, eu fazia em casa o que as profissionais ensinavam, com movimentos estimulando ele a engatinhar e massagens para acalmá-lo. É um programa muito bom pois ajuda as crianças e as famílias, também”, relata Marciana da Silva, mãe de Gabriel.

Fonte: Prefeitura de Joinville