Deputados cobram obras federais e socorro para atingidos por chuvas

- PUBLICIDADE -

Integrantes das bancadas do PSDB, PSD e PT cobraram da União agilidade na execução de obras rodoviárias e da Defesa Civil Estadual rapidez no atendimento às vítimas das chuvas durante a sessão de terça-feira (11) da Assembleia Legislativa.

“Batemos recordes por mortes em acidentes de trânsito e as obras federais andam a passo de tartaruga, como na BR-280 e na BR-470. Precisamos apertar o governo federal para que abra as torneiras”, defendeu Doutor Vicente Caropreso (PSDB).

- PUBLICIDADE -

Ismael dos Santos (PSD), que se elegeu deputado federal na eleição do último dia 2, concordou com Caropreso.

“Essas causas que Vossa Excelência levanta são fundamentais, somos a sexta economia do país com apenas 1% do território, com cinco portos e não temos rodovias adequadas”, assentiu Ismael, que lamentou o ritmo lento da duplicação da BR-470.

Já o deputado Neodi Saretta (PT) pediu agilidade à Defesa Civil Estadual para atender os atingidos pelas chuvas que caem intensamente no estado, em especial no Oeste.

“Vivenciamos nas últimas horas uma altíssima precipitação de chuvas. No Oeste há muitos prejuízos, deslizamentos, estradas interditadas. Sei que a Defesa Civil está atuando, mas quero apelar pela agilidade para atender os atingidos e os locais onde há obstrução nas estradas”, reforçou Saretta.

CPI do aborto
Kennedy Nunes (PTB), que presidiu a sessão, lembrou os deputados Ana Campagnolo (PL), Jair Miotto (União), Jessé Lopes (PL), Felipe Estevão (União), Sergio Motta (Republicanos) e Fabiano da Luz (PT) que às 17 horas desta terça-feira, sob a presidência de Ismael dos Santos, ocorrerá a primeira reunião da CPI do Aborto.

Kennedy revelou que os deputados foram escolhidos por sorteio, uma vez que os partidos não indicaram os membros. A CPI terá até o fim do ano para concluir os trabalhos.

Saúde pública
Caropreso indicou na tribuna que no próximo mandato dará prioridade ao atendimento na área da saúde pública, tais como exames, consultas especializadas e cirurgias eletivas.

“O contribuinte quer solução para isso”, justificou o parlamentar, que também alertou para a burocratização das cirurgias eletivas e para a “intoxicação digital” de crianças e adolescentes pela excessiva exposição às telas de telefones, computadores e televisores.

Fonte: Agência ALESC