Média de idade, profissões, regiões: confira dados da próxima legislatura

- PUBLICIDADE -

Representação geográfica
As regiões do Oeste/Extremo Oeste e do Vale de Itajaí/Foz do Itajaí contarão com o maior número de representantes na Assembleia na legislatura eleita no último domingo (2), que toma posse em 1º de fevereiro de 2023. Cada uma dessas macrorregiões conta com nove parlamentares.

O Sul vem em seguida, com oito deputados. A Grande Florianópolis contará com sete parlamentares, enquanto o Norte terá cinco deputados. O Planalto Serrano ficará com três representantes.

- PUBLICIDADE -

É importante ressaltar que há casos de deputados que se declararam representantes de mais de uma região. O critério utilizado para a definição da base eleitoral leva em conta informações prestadas pelo deputado e o domicílio eleitoral do candidato.

Representação feminina
O número de deputadas na próxima legislatura caiu no comparativo com a atual composição da Alesc. Em 2018, foram eleitas cinco mulheres. Na eleição deste domingo, foram três. A última vez que o Parlamento catarinense elegeu esse número foi em 2006.

A bancada feminina dificilmente deve aumentar de tamanho no decorrer da próxima legislatura, porque entre os primeiros suplentes dos partidos que elegeram parlamentares para a Alesc há poucas mulheres. Uma das exceções é o PT, que tem como primeira suplente Vanessa da Rosa.

Idade
A média de idade da próxima legislatura ficou maior do que aquela que assumiu a Assembleia em 2019. Na ocasião, a média era de 50,5 anos. Em 2023, no dia da posse, será de 51,1 anos.

Em 1º de fevereiro do ano que vem, quando se iniciar a nova legislatura, a deputada Ana Campagnolo (PL) prosseguirá a mais jovem, com 32 anos. Já o mais idoso será Julio Garcia (PSD), com 72 anos.

Profissões
Os empresários e os advogados estão entre as profissões mais representadas na próxima legislatura da Alesc. Nesta eleição, oito eleitos declararam ser empresários, enquanto outros oito se declararam advogados.

O Parlamento contará, ainda, com quatro jornalistas, duas professoras, dois engenheiros agrônomos, entre outras profissões.

Mandatos
A partir de 1º de fevereiro de 2023, os deputados de primeiro mandato serão minoria na Assembleia: 16.

Desses, 14 nunca estiveram no Parlamento estadual. Dois deles – Carlos Humberto (PL) e Pepê Collaço (PP) – já exerceram o mandato temporariamente, na condição de suplentes.

Na outra ponta, Julio Garcia (PSD) passa a ser o recordista de mandatos na nova legislatura: são sete. Em termos de mandatos consecutivos, o recordista é Padre Pedro Baldissera (PT), como seis mandatos. Ele tomou posse em 1º de fevereiro de 2003 e pode permanecer na Alesc até 31 de janeiro de 2027.

Fonte: Agência ALESC