Eleições em SC transcorrem dentro da normalidade, afirma presidente do TRE

- PUBLICIDADE -

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC), desembargador Leopoldo Brüggemann, afirmou que até o momento, as eleições em Santa Catarina ocorrem dentro da normalidade. A expectativa dele é de que neste domingo (2), dia da votação em primeiro turno, os quase 5,5 milhões eleitores catarinenses votem de forma pacífica, apesar da polarização na eleição nacional. Mesmo assim, a Justiça Eleitoral está com um gabinete de pronta resposta, apostos para agir em qualquer ocorrência considerada fora da normalidade. Confira a entrevista:

Como estão os preparativos da Justiça Eleitoral em Santa Catarina para o dia da votação?
Estão devidamente encaminhados. Foram mais de 27 mil atos até o momento relacionados com a eleição. No domingo, dia da votação, nossa força-tarefa estará totalmente apta para receber os eleitores para que eles possam exercer sua cidadania.

- PUBLICIDADE -

Até o momento, tudo transcorreu dentro da normalidade?
Não há nenhuma situação que deixe o tribunal de sobreaviso. Clima calmo. Mas teremos o gabinete de pronta resposta, composto por vários órgãos, como a Celesc, as forças policiais, que estará no domingo de prontidão para qualquer fato, como uma estrada interrompida, uma queda de energia. Esse gabinete está apto para qualquer situação que ocorrer em 2 de outubro.

A eleição para presidente está muito polarizada, com o registro de casos de violência. O TRE tem preocupação com a segurança das equipes da Justiça Eleitoral e dos eleitores do dia da votação?
O gabinete de pronta resposta já está funcionado. Por meio dele, tudo o que acontecer no estado, nós vamos tomar conhecimento. Mas Santa Catarina é um estado muito ordeiro. Nunca aconteceu aqui uma eleição que não pode ser realizada. E nós acreditamos que isso vai acontecer de novo. Mas, mesmo assim, a força-tarefa já está montada e atuante. Se algo fora do normal acontecer, vai ser apurado e atacado imediatamente.

Quais são as principais novidades que o eleitor vai encontrar no dia da votação?
Uma delas é a possibilidade de usar o aplicativo que fará a leitura do boletim de urna, o QR Tot [o APP está disponível para download apenas para aparelhos Android]. Ele foi criado pelo TRE-SC e, num convenio com o Ministério Público de Santa Catarina, foi colocado à disposição para que os promotores eleitorais de cada comarca do estado façam a leitura dos boletins de urna e disponibilizem os resultados no aplicativo. Será possível saber dos resultados antes da divulgação oficial pelo TSE [Tribunal Superior Eleitoral].

Outra novidade é o terminal do mesário. Nele, será possível saber se o eleitor está obedecendo à ordem de votação, que é deputado federal, deputado estadual, senador, governador e presidente. Isso facilita, porque se o eleitor estiver votando na ordem errada, ele será avisado disso.

É importante destacar que o mesário não sabe em quem o eleitor está votando, ele só tem acesso à ordem de votação. Isso foi criado para não surgirem aquelas fakenews de pessoas que falam que estão votando em X e aparece Y na urna.

A Justiça Eleitoral fará um teste no dia da votação na Assembleia Legislativa para demonstrar a segurança e a confiabilidade das urnas. Como será esse teste?
Foi um convênio entre o TRE e a Assembleia para realizar nesse espaço, que é a casa do povo, a auditagem das urnas. Estudantes que não são eleitores receberam kits com cédulas de papel e votaram nos candidatos. Essas cédulas serão trazidas no domingo para a Assembleia. Os votos dos estudantes serão apurados, na presença de representantes do Ministério Público e da Justiça Eleitoral, e serão digitados na urna que está sendo auditada. Ao final, o resultado das cédulas será comparado com o da urna eletrônica.

Tudo isso será aberto ao público. O que a gente quer é que todos venham acompanhar essa auditagem, para que depois não digam que é algo feito numa sala secreta. Não existe sala secreta. O que existe é a maior transparência.

Quais são as principais orientações para o eleitor no dia da votação?
Primeiro, não tumultuar a seção de votação. Segundo, pode levar o celular com o aplicativo e-Título para se identificar. O mesário vai dizer que ele não poder levar o celular para a cabine de votação. Se o eleitor não obedecer, ele não vai votar. Isso é determinação. Se ele teimar, a força policial vai ser chamada e a pessoa será encaminhada para a delegacia de polícia.

O que nós pedimos é muita calma. Ninguém precisa tumultuar. Vamos respeitar a democracia. Não tem razão da pessoa chegar na seção eleitoral e querer tumultuar o trabalho.

Lembrando também que é necessário levar o documento com foto, caso não tenha o aplicativo no celular. Pode ser a carteira de identidade, a habilitação (CNH), uma carteira profissional, desde que tenha foto.

O TRE tem alguma expectativa de horário para concluir os trabalhos no domingo?
Não. A totalização hoje é realizada só pelo TSE. Não trabalhamos com um horário para conhecer os resultados.

Fonte: Agência ALESC