Criciúma celebra destaque na saúde em ranking nacional

- PUBLICIDADE -

Notícias de Santa Catarina - SC HOJE News

Criciúma comemorou, nesta quinta-feira (22), a liderança nacional em qualidade na saúde. O reconhecimento foi feito pelo Ranking de Competitividade e Sustentabilidade dos Municípios, divulgado na última semana pelo Centro de Liderança Pública (CLP). Para celebrar o resultado, as equipes de Saúde e entidades da cidade receberam homenagens por sua parceria junto à administração municipal. O evento ocorreu no Paço Municipal Marcos Rovaris.

Na avaliação, Criciúma subiu 16 posições em comparação com a avaliação anterior – divulgada ano passado –, consolidando-se número um do Brasil no indicador “Qualidade em Saúde”, com nota 90,76 de 100. O indicador é subdividido em cinco itens: obesidade na infância; desnutrição na infância; mortalidade na infância; mortalidade por causas evitáveis e mortalidade materna. A cidade se destacou principalmente nos últimos três, com colocações nacionais de, respectivamente, 15°, sétimo e primeiro lugar.

O secretário municipal de Saúde, Arleu da Silveira, acredita que o resultado vem de um esforço coletivo.  “Esses índices são reflexo de um trabalho realizado por uma equipe multissetorial e por diversas instituições que, juntas, contribuíram para melhorias na qualidade de vida da população criciumense nos últimos anos”, ressaltou. “Celebrar essa conquista é valorizar todos os responsáveis por ela. É incentivar e motivar os profissionais para oferecermos atendimentos cada vez mais eficientes para as famílias”, complementou o prefeito Clésio Salvaro.

Sobre os indicadores

O indicador “mortalidade materna” é definido como a razão entre a quantidade de óbitos maternos e o número de nascidos vivos (por grupo de 100 mil). São consideradas mortes maternas os óbitos de mulheres nos períodos de gestação ou puerpério (até 42 dias após o parto). Com base nestes dados, o ranking define uma nota para cada município. Quanto maior a nota, menor a mortalidade materna. Criciúma foi o primeiro colocado, com nota 100.

Neste indicador, foram considerados dados de 2020, disponíveis no banco de dados do SUS. Conforme o sistema, neste período Criciúma não registrou nenhuma morte materna, assim como nos anos de 2019 e 2018.

Já no item “mortalidade por causas evitáveis”, a nota é calculada com base na razão entre a quantidade de óbitos, por causas evitáveis, de pessoas com idade entre 5 e 49 anos e a população estimada na mesma faixa etária (por grupo de 100 mil). Como no indicador anterior, quanto maior a nota, menor é a mortalidade por causas evitáveis. No país, o município é o sétimo colocado, com nota 96.01.

A nota do indicador “mortalidade na infância” leva em consideração a quantidade de óbitos de menores de cinco anos dividida pelo número de nascidos vivos (por grupo de 1.000). Da mesma forma dos itens anteriores, quanto maior a nota, menor a mortalidade. Criciúma é o 15º colocado do Brasil neste item, com nota 82.17.

O Setor de Mortalidade da Vigilância Epidemiológica do município realiza o monitoramento em tempo real destes números. “O acompanhamento desses indicadores é essencial pois mostra a qualidade de serviços prestados na saúde, assim como em outras áreas”, esclareceu a enfermeira e coordenadora do setor, Diandra Limas.

Dentre as instituições com importante papel nessa conquista está o Hospital Materno-Infantil Santa Catarina (HMISC). Em 2021, foram realizados 2.753 partos no HMISC, maior marca desde sua inauguração em 2018. De lá para cá, foram 10.359 nascimentos. Os dados são do próprio hospital.

Trabalho desenvolvido no município

O reconhecimento na área é também resultado das ações desenvolvidas pela Secretaria de Saúde, através do Centro de Saúde da Mulher Criança e Adolescente e dos serviços prestados na Atenção Primária em Saúde (UBSs).

“Por iniciativa do Saúde da Mulher, foi criado em 2021 o Grupo Condutor da Rede Cegonha. O grupo multissetorial, com representantes de entidades da sociedade civil e do legislativo municipal, conduz ações de acompanhamento às gestantes, puérperas e crianças com até 24 meses”, explica a enfermeira e coordenadora do grupo, Lucimara Nunes Ferreira.

Para isso, os profissionais da Atenção Primária passam por capacitações regularmente, sendo orientados e atualizados sobre os protocolos Mãe Coruja – que estabelece diretrizes para o pré-natal, parto e puerpério – e Atenção à Criança e Adolescente. A equipe da pasta também faz encaminhamentos de assistência para gestações de médio e alto risco.

Além disso, Criciúma possui um Comitê de Mortalidade Materno-Infantil, que se reúne uma vez ao mês para avaliar óbitos maternos e infantis, com o objetivo de identificar mortes evitáveis. O grupo, de caráter educativo, discute novas recomendações de saúde e prevenção de novos óbitos.

Em conjunto com a Rede Cegonha e o Saúde da Mulher, o Comitê também tem outras iniciativas. Exemplos delas são a capacitação da atenção básica para o Planejamento Familiar; possibilidade de inserção de Dispositivo Intra Uterino (DIU) no pós-parto e em mutirões; e elaboração de cartazes e de uma cartilha direcionada para gestantes imigrantes, com orientações básicas em outros idiomas.

Outras ações na área da saúde

Atualmente, Criciúma possui 48 UBSs e duas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) à disposição da população. No ano passado, a rede de atenção básica do município realizou 2.505.152 atendimentos. Desses, 16.518 foram consultas de pré-natal.

Entre esses atendimentos também estão consultas – com médicos, enfermeiros, psicólogos, dentistas, nutricionistas, etc –, visitas domiciliares, curativos, exames preventivos, pequenos procedimentos médicos, procedimentos odontológicos, testes rápidos, administração de medicamentos, etc. Somente na UPA da Próspera, por exemplo, foram 110.815 atendimentos no mesmo período. Dentre eles estão radiografias, eletrocardiogramas, imobilizações ortopédicas, etc.

Para reduzir a fila de consultas, exames ou demais procedimentos agendados, a secretaria realizou mutirões para entrar em contato com pessoas esperando por cirurgias. O objetivo era verificar quais delas ainda estavam de fato aguardando o procedimento. Também para higienizar as filas, a secretaria está implementando um sistema para confirmação de consultas por SMS.

Além disso, com a pandemia de Covid-19 em 2020, a Secretaria de Saúde precisou se reinventar. Para isso foi instalado o Centro de Triagem em frente ao Hospital São José, o Salão Paroquial da Igreja Santa Bárbara foi transformado em uma grande sala de vacinação e o Centro de Reabilitação Cardiopulmonar deu suporte àqueles que venceram a doença.

Outras ações mais recentes da pasta incluem a implantação do Programa Melhor em Casa, Programa de Hepatites Virais e aplicação de injeções intravítreas.

Sobre o Ranking

O ranking analisa 415 municípios brasileiros (7,45% do universo de municípios), representando cidades com mais de 80 mil habitantes, conforme estimativa do IBGE para 2021. A terceira edição do ranking é composta por 65 indicadores, organizados em 13 pilares temáticos e três dimensões: instituições, sociedade e economia. Na posição geral, que considera todos os indicadores, Criciúma é o 5º colocado em Santa Catarina, 8º na região sul e 23° em todo o país. O ranking pode ser acessado em rankingdecompetitividade.org.br.

Fonte: Prefeitura de Criciúma