Programa Consciência Limpa foi precursor na preservação do meio ambiente

- PUBLICIDADE -

A preocupação do Parlamento catarinense com a preservação do meio ambiente vem desde 2006, quando foi instituído o programa Consciência Limpa, com objetivo de incentivar a política de reaproveitamento de materiais e da redução e reciclagem dos dejetos, lançado oficialmente em 4 de junho de 2007. O programa, que depois foi substituído pelo Alesc Sustentável, instalou em todas as dependências do Palácio Barriga Verde e da Unidade Administrativa Presidente Deputado Aldo Schneider lixeiras coloridas destinadas à separação de resíduos.

De acordo com Luiz Antonio Fabro, primeiro coordenador do programa, a iniciativa recebeu vários prêmios pela preservação do meio ambiente. Foi contemplado com o Troféu Fritz Müller, um dos mais importantes prêmios da área ambiental do Sul do país, o Prêmio Expressão de Ecologia, da Revista Expressão, e foi destaque do primeiro seminário de boas práticas ambientais do Poder Legislativo, realizado em Brasília, em 2007, promovido pelo Senado, Tribunal de Contas da União (TCU) e pela Câmara dos Deputados.

Fabro lembra que durante os primeiros anos do programa foram promovidas várias reuniões e treinamento de todos os servidores efetivos e comissionados da Alesc, conscientizando quanto ao uso adequado das lixeiras coloridas destinadas à separação de resíduos, inclusive de pilhas e baterias. “O interessante, na época, era que todo recurso arrecadado com a venda do material reciclado era destinado para cestas de Natal aos servidores terceirizados que atuam na limpeza do Parlamento.”

Fonte: Agência ALESC