Secretaria da Saúde de Joinville alerta para a baixa adesão à Campanha Nacional Contra a Poliomielite

- PUBLICIDADE -

Erradicada no Brasil desde 1994, a poliomielite depende de um simples ato para que permaneça sem casos registrados no País: a vacinação. A Prefeitura de Joinville, por meio da Secretaria da Saúde, alerta que adesão à Campanha Nacional Contra a Poliomielite está baixa. Até o momento, com a aplicação de 12.060 doses, foi atingido 37,32% do público-alvo, sendo que a meta é 95%.

A Campanha Nacional Contra a Poliomielite, para crianças de um ano a menores de 5 anos, foi prorrogada até dia 30 de setembro pelo Ministério da Saúde.

Em Joinville, as vacinas contra a poliomielite estão disponíveis na Sala de Vacina Central (rua Abdon Batista, 172, Centro) e nas Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSFs). A relação completa dos locais e horários de atendimento pode ser acessada no site da Prefeitura de Joinville (bit.ly/ubsfjlle).

Segundo Patrícia Brandalise, médica pediatra da Rede Municipal de Saúde, a vacina previne que doenças antigas retornem ao País. “Com a circulação do vírus da pólio nos Estados Unidos, há um risco grande dele aparecer no Brasil. E crianças que têm uma vida normal podem nunca mais andar, se não forem vacinadas”, alerta a médica.

A poliomielite, também conhecida como pólio ou paralisia infantil, é uma doença contagiosa aguda provocada pelo poliovírus. Ela é capaz de infectar crianças e adultos por meio do contato direto com fezes ou com secreções eliminadas pela boca das pessoas doentes e provocar ou não paralisia. Nos casos graves, acontecem as paralisias musculares, sendo mais comuns nos membros inferiores.

“A poliomielite causa sequelas muito graves, podendo levar a óbito”, adverte Patrícia.

O vírus também pode chegar ao cérebro e causar meningite (inflamação das membranas que revestem o cérebro e a medula espinhal). O quadro de meningite tem risco de acarretar em sequelas, como a perda de audição e visão parcial ou total, epilepsia e paralisia em um ou ambos os lados do corpo.

Fonte: Prefeitura de Joinville